Fundador da Empiricus é condenado a mais de 3 anos de prisão por fraude financeira

Um dos fundadores da empresa brasileira de investimentos e análise financeira Empiricus Research, Marcos Eduardo Elias, foi condenado pela Justiça Federal dos Estados Unidos a três anos e meio de prisão em regime fechado por ter conduzido um esquema de fraude financeira no país. A notícia foi divulgada pelo InfoMoney na última sexta-feira (26).

Elias confessou o crime de conspiração contra instituições financeiras em fevereiro, conseguindo negociar com a Justiça que sua pena fosse mais branda. Além da pena em regime fechado, ele ainda deve cumprir mais três anos em liberdade condicional.

Segundo a denúncia, o fundador da Empiricus - que também oferece consultoria em gestão de investimentos em criptomoedas - teria se apropriado ilegalmente de mais de US$ 750.000 pertencentes a instituições financeiras dos EUA. 

O empresário teria ganhado a confiança das instutuições falsificando documentos de empresas brasileiras, como a rede de supermercados Zaffari. Ele terá que pagar US$ 920.000 à família proprietária da rede de supermercados, como compensação.

O valor teria sido desviado e depositado em uma conta do banco de investimentos Jefferies, com cumplicidade de um funcionário do banco. O funcionário, Evandro dos Reis Jr., cooperou com as investigações e ainda será julgado.

Segundo o texto, o Serviço de Imigração e Controle de Aduanas dos EUA pediu a detenção e deportação de Marcos Elias, por violação dos termos do visto de residência.

Além de fundar a Empiricus - onde ficou até 2012 - ele também trabalhou como gestor de fundos e empreendedor no mercado financeiro, com passagens por empresas importantes, como Gas, Link, BNP e Bozzano.