Bitcoin era usado por brasileiro para cobrir rastros de pedofilia na deep web

O brasileiro Wagner Vieria de Maia, foi acusado pelo Ministério Público Federal por pedofilia e crimes relacionados ao artigo 71 do Código Penal Brasileiro. Na acusação o MP aponta que Maia ocultava o rastro de seus crimes usando Bitcoin.
 
Maia é apontado como sendo o  usuário thor 53 do FórumForpedo Brasil, uma chan na deep web que era supostamente usada para compartilhamento e comércio de pornografia infantil.


 
“o Acusado, a partir de computadores instalados em sua residência e no endereço de seu trabalho, publicou e divulgou na internet através do FórumForpedo Brasil, diversos arquivos de fotos e vídeos contendo cenas de sexo explícito envolvendo crianças e/ou adolescentes (...) inclusive, o acusado teria demonstrado conhecimento de informática e preocupação em não ser rastreado ou identificado, orientando outros usuários a utilizarem um servidor da rede onion para manter os arquivos com segurança, bem como utilizar a moeda bitcoin para não deixar rastros", segundo o MP.
 

Em sua defesa, Maia, alega que a página havia sido criada pela polícia e que teria sido instigado a cometer o crime. A alegação foi afastada pelo TRF-3 que julga o caso que também determinou a realização de audiência com o acusado e com as testemunhas para seguir com a apuração do caso.

O Cointelegraph reportou que a polícia alemã, juntamente com a Europol, fechou recentemente servidores de um Bitcoin mixer que era usado para 'lavar' bitcoins por meio da mixagem de endereços. O serviço era usado por compradores e vendedores em marketplaces na deep web com a finalidade de ocultar a origem dos recursos.