Bobby Lee afirma que os chineses sempre viram o Bitcoin como investimento, não como pagamento

Bobby Lee - cofundador e ex-CEO da primeira exchange de criptomoedas da China, a BTCC - diz que os chineses sempre pensaram no Bitcoin como um investimento e não um sistema de pagamento.

Lee teceu seus comentários durante uma entrevista para o podcast de Charlie Shrem, o Untold Stories, em 18 de setembro.

Projetada para usuários não-geek

Além de compartilhar suas reflexões sobre o cenário chinês de criptomoedas - cobrindo interações com reguladores e observações sobre tendências de investidores locais - Lee usou o tempo no ar para discutir seu mais recente empreendimento de cripto, uma carteira de hardware chamada Ballet:

“A Ballet é o culminar da minha experiência [...] liderei uma exchange [BTCC], liderei um pool de mineração e agora produzimos carteiras móveis. Sob a marca BTCC, lançamos a produção de Bitcoins físicos. Como parte do projeto Ballet, estamos desenvolvendo uma solução inovadora que, esperamos, seja a mais simples e mais conveniente do mundo - a carteira de hardware mais confiável.”

O ímpeto para criar uma solução de hardware de armazenamento simples e robusta, disse Lee, foi estimulado pela consideração de que usuários comuns, “não-geeks", como ele, não são muito fluentes em segurança digital. Ele observou:

“Eles não sabem como definir corretamente uma senha forte [...] eles não sabem o que é autenticação de dois fatores, como trabalhar com firmware, atualizações de segurança, etc. Eles mal sabem como fazer login, isso que nem falo sobre verificação 2SA e SMS.”

A adoção em massa de cripto, ele argumentou, baseia-se na simplificação das etapas necessárias para os usuários comuns - "de uma criança de nove anos a uma velhinha de 99 anos".

O cenário de carteiras de hardware

Conforme relatado no início deste mês, a Ballet é um dispositivo do tamanho de um cartão de crédito que oferece armazenamento a frio de Bitcoin (BTC) e catorze altcoins, incluindo Ether (ETH), XRP e Litecoin (LTC). Espera-se que outras dezoito criptos sejam adicionadas no futuro, de acordo com o site do projeto.

O cenário das carteira de hardware existente é dominado por empresas como TrezorLedger e KeepKey.

Embora exista um amplo consenso de que o armazenamento em hardware oferece mais segurança do que as carteiras virtuais on-line, ocasionalmente foram levantadas alegações de vulnerabilidade em relação a vários dispositivos populares junto ao consumidor, levando os desenvolvedores independentes a criar medidas de segurança de terceiros para os produtos.