Startup de blockchain Stox e seu fundador são processados em US$ 4,6 milhões por suposta fraude

Um investidor chinês processou o empresário israelense e sua empresa de blockchain, a Stox (STX), por suposta fraude, informou o jornal The Times of Israel nesta sexta-feira, 25 de janeiro.

O investidor, Zhewen Hu, está processando a Stox e seu fundador por 17 milhões de NIS (moeda israelense), o mesmo que US$ 4,6 milhões. Hu investiu um total de US$ 3,8 milhões em Ethereum (ETH) na empresa blockchain - uma plataforma de previsões de mercado baseada em Ethereum fundada por Moshe Hogeg.

Hogeg é conhecido por seus múltiplos empreendimentos relacionados às criptomoedas - que incluem a fundação da empresa desenvolvedora de smartphones baseados em blockchain, Sirin Labs, e a presidência do LeadCoin, uma rede descentralizada de compartilhamento de leads também baseada em blockchain.

O empresário é ainda dono do Beitar Jerusalem, um dos principais clubes de futebol de Israel. A aquisição, realizada em agosto passado, custou US$ 7,2 milhões, segundo o The Times. 

No processo, o investidor alega que a operadora de Hogeg e da Stox, a STX Technologies Limited, desviou milhões de dólares em criptomoedas que haviam sido investidos na empresa.

O processo afirma que o white paper da Stox prometia que todos os fundos da empresa seriam direcionados para o desenvolvimento de sua oferta de produtos, caso sua meta de oferta inicial de moeda (ICO) de US$ 30 milhões em ETH fosse atingida. A expectativa, de acordo com o processo, era que o desenvolvimento bem sucedido da plataforma da Stox aumentaria o valor do token STX.

Com um total arrecadado de US$33 milhões em agosto de 2017 na ICO, o processo alega que apenas US$ 5 milhões desses fundos foram realmente destinados à empresa e seu principal produto. Hu alega que Hogeg reinvestiu o restante do capital em outras ICOs - incluindo a do grande aplicativo de mensagens Telegram. O processo também afirma que Hogeg violou seu compromisso com os investidores ao vender suas participações Stox antes do prometido, supostamente desvalorizando o valor dos tokens.

De acordo com o relatório, Hogeg enfrentou uma ação em novembro por suposta apropriação indébita de fundos em relação à sua empresa de criptomoeda, a Invest.com - da qual a Stox é uma subsidiária. O empresário nega qualquer irregularidade relacionada a ambos os casos.

Como informado anteriormente, a ICO da Stox foi promovida pelo pugilista profissional Floyd Mayweather Jr., que enfrenta acusações na Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos por atividades ilegais de promoção da ICO da Centra Tech, em setembro de 2017. Os fundadores da Centra foram formalmente denunciados por procuradores dos EUA por fraude.