US SEC acusa Floyd Mayweather Jr e DJ Khaled por promover ilegalmente uma ICO

A Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) acusou o pugilista profissional Floyd Mayweather Jr. e o produtor musical Khaled Khaled de promover ilegalmente a Oferta Inicial de Moeda (Initial Coin Offerings - ICO), segundo um comunicado publicado em 29 de novembro.

Pelo anúncio, a SEC descobriu que Mayweather não divulgou pagamentos promocionais de três emissores de ICO, incluindo US $ 100 mil da Centra Tech, enquanto Khaled, também conhecido como DJ Khaled, não divulgou o pagamento de US $ 50 mil da mesma empresa.

Em maio, os três cofundadores da Centra - Sohrab Sharma, Robert Farkas e Raymond Trapani - foram formalmente indiciados por administrar uma ICO fraudulenta, que levantou US $ 32 milhões de investidores em 2017.

Enquanto nenhuma das partes admitiu nem negou as acusações contra eles, eles concordaram em pagar certas taxas e restrições. A Mayweather pagará US $ 300.000 em repasse, uma multa de US $ 300.000 e US $ 14.775 em juros pré-julgamento. Khaled pagará US $ 50.000 em repatriamento, uma multa de US $ 100.000 e US $ 2.725 em juros pré-julgamento.

Além disso, Mayweather concordou em colaborar com a investigação e não promover qualquer tipo de valores mobiliários durante os próximos três anos. Khaled foi impedido de promover títulos por dois anos. O co-diretor da Divisão de Reforço da SEC, Steven Peikin, comentou sobre o assunto:

"Os investidores devem ser céticos em relação aos conselhos de investimento postados nas plataformas de mídia social e não devem tomar decisões baseadas em endossos de celebridades. Os influenciadores de mídia social são frequentemente promotores pagos, não profissionais de investimento e os títulos que estão divulgando, independentemente de serem emitidos usando certificados tradicionais ou no blockchain, poderiam ser fraudes".

Mayweather começou a promover a ICO da Centra em setembro de 2017, alegando que ele já estava usando seu cartão Titanium Centra para usar moedas digitais como Bitcoin (BTC) e Ethereum (ETH) em suas transações comerciais. Naquela época, o ICO da Centra era a terceira ICO promovida por Mayweather.

Apenas algumas semanas depois, Khaled se juntou a Mayweather na promoção da ICO da Centra, tornando pública a aquisição de um Titanium Centra Card em sua conta do Instagram.

Mais tarde, em novembro de 2017, a SEC alertou que as ICOs endossadas por celebridades poderiam ser ilegais. A comissão alegou que as personalidades que promovem a venda de tokens poderiam estar violando as leis de "anti-tutela" se não revelarem a compensação que receberam por seus endossos.