Com baixo volume negociado, Bitcoin enfrenta dia estável no Brasil e altcoins têm queda

O Bitcoin (BTC) registrou nas últimas 24 horas, até o fim da tarde desta sexta-feira (19), um dia de estabilidade de preços entre as exchanges brasileiras. Em busca de consolidação acima dos R$ 38.000, a maior criptomoeda é negociada no momento na média de R$ 39.082, em queda de 1,54% nas últimas 24 horas, segundo o InfoMoney. 

A máxima do dia registrada para o Bitcoin foi de R$ 40.495,70, com mínima em R$27.379,73, conforme dados do BitValor. O volume negociado até aqui nesta sexta-feira, porém, é de apenas 935 BTCs diante dos 1.483 BTCs de quinta-feira, como noticiado pelo Cointelegraph.

Entre as exchanges de destaque no mercado brasileiro, a Mercado Bitcoin segue líder no dia com 613 BTC em volume negociado, avaliados em R$ 23.743.155,00. Depois dela, vem a Bitcoin Trade (138 BTCs), a BitCâmbio (74) e a BitcoinToYou (67).

Entre as demais criptomoedas, a maior altcoin, Ethereum (ETH), é cotada em R$ 821,56, com queda de 2,5% no dia, e o Ripple (XRP) é negociado em R$ 1,19, perdendo 1,95% no dia. Entre as maiores moedas, a única registrando pequena alta é o Binance Coin (BNB), que sobe no momento 0,12%, cotado em R$ 108,50.

Entre os índices dos tradicionais do mercado brasileiro, as ações da Ibovespa opera em queda de 1,16% no dia, com o pregão chegando a 103.499 pontos. O dólar opera em alta de 0,48%, com o câmbio comercial em R$ 3,75%, e o Euro tem leve alta de 0,02%, negociado a R$ 4,21.

Como o Cointelegraph noticiou nesta sexta, um diretor da Binance revelou que a proeminente exchange tem planos para o Brasil, e falou sobre adoção de uma stablecoin atrelada ao real, dizendo que esta "é uma opção".

Além disso, a fintech brasileira QR Capital anunciou uma parceria com o protocolo blockchain Hathor Network para buscar aproximação de seus serviços com os mercados tradicionais do país, especialmente depois da liberação da Comissão de Valores Mobiliários para a criação de sandboxes para testes de novas tecnologias.