Banco Original patrocina evento de Marketing Multinivel, com empresas sem registro na CVM e acusadas de pirâmides financeiras de Bitcoin

O Banco Original, entre as principais instituições financeiras do país, foi o patrocinador principal da Expo Boa Chance, que ocorreu de 02 a 05 de outubro no centro de exposição do Shopping Dom Pedro, em Campinas.

O evento foi voltado para empresas de Marketing Multi Nível porém, segundo levantamento do Cointelegraph, a grande maioria delas não tem autorização para atuar no Brasil e muitas são acusada de pirâmide financeiras, algumas ofereciam retornos, garantidos, de até 400% sobre o investimento.

Segundo comunicado dos organizadores do evento, o Banco Original "como patrocinador do evento, está oferecendo vantagens em aberturas de conta, financiamentos e benefícios para novos correntistas empreendedores", destacou.

A medida causou enorme estranheza no mercado tendo em vista que boa parte das empresas participantes do evento não tem autorização da Comissão de Valores Mobiliários do Brasil (CVM) para atuar no país e também são acusadas de operar atividades ilegais e crimes contra a economia popular por meio de pirâmide financeiras, inclusive afirmando investir em Bitcoin e criptomoedas, setor que já teve contas bancárias encerradas pela instituição.

“O Banco Original entendeu a grandeza dessa indútria; afinal a Venda Direta movimenta  bilhões de Reais no Brasil e bilhões de dólares no mundo. Ajudar as empresas a se viabilizarem financiando kits de adesão e gerando capital, conta corrente, cartão de crédito e débito e maquininhas de pagamento, inclusive para negativados, dará um grande impulso na economia brasileira e na vida de milhões de pessoas”, declarou Claudio Di Lucca, presidente da Abranetwork, responsável pela organização do evento.

Entre as empresas presentes estande no evento estava a DD Corporation, conhecida como Dreams Digger, que garante lucros diários acima de 3% por meio de operações com criptoativos e, não tem autorização da CVM para captar clientes no Brasil e, por isso, é investigada pela autarquia que abriu o processo 19957.004826/2019-95 (SP2019/223) para avaliar a empresa.

Outra empresa presente no evento era a YouXWallet que também oferece investimento garantido com operações em Bitcoin e criptomoedas sem autorização da CVM que abriu processo para investigar a empresa:

"Entenda porque a Indústria  do multinível é a que mais faz milionários no mundo" era o tema de uma das palestra do evento. ministrada por Rodrigo Gagliardi, mostrando que a grande maioria da empresa presentes oferecia rendimentos garantidos e promessas de riqueza.

Também estava presente no evento, a B2Ccoin, suposta criptomoeda criada pela YouHub que está com ICO aberto no Brasil, atividade proibída pela CVM no pa´si. Além disso, outras empresas ofereciam investimentos, com retorno garantido, por meio de estratégia de Marketing Multi Nível com venda de produtos diversos como a Maravilhas da Terra (chás e ervas supostamente da Amazônia "excelente para ganhos financeiros com seu plano de compensação".

Além dela a Ibuumerang (produtos de viagens), OnEnergy, (energia, empresa sem autorização da Anaeel); SafeClass, (Marketing Multinível de proteção veicular); Worldventures, (clube de viagens "mostrando que é possível ganhar muito dinheiro viajando pelo mundo"); Ore & Stone, (pedras preciosas, "que possui toda a documentação para provar sua legitimidade e a grandeza e lucratividade de seu negócio"); Yolo Move, (que une; viagens, criptomoedas e multinível); Incurises (focada em cruzeiros).

O evento, com patroínio do Banco Original, foi organizado pela Abranetwork, uma associação focada em empresas de Marketing Multi Nível e que emite um 'selo' supostamente dizendo quais empresas no setor são sérias. No entanto, o "selo", não significa autorização de qualquer regulador federal.

“O que está acontecendo é fantástico para o Marketing Multinível, porque ele está sendo desmistificado, melhor compreendido pela sociedade e pela própria mídia (...) Estamos chamando a atenção da população do estado de São Paulo para a força transformadora do MMN. Isso está atraindo pessoas novas para empreender nas empresas que estão expondo no evento.” disse  Claudio Di Lucca, presidente da Abranetwork.

Como noticiou o Cointelegraph, a CVM afirmou que a YouXWallet, uma das empresas presentes no evento e que seriam 'certificadas' pela Abranetwork é uma suposta pirâmide financeira, a empresa promete retornos financeiros de até 400%. A empresa afirma realizar operações no mercado "Forex e arbitragem em Criptomoedas", sendo que Forex é proibido no Brasil.

"Considerando que até o presente momento não há qualquer oferta relacionada ao mercado Forex registrada na CVM, ou corretora autorizada pela autarquia a atuar nesse mercado, qualquer oferta feita no Brasil é ilegal. Isso inclui, mas não se limita, ofertas feitas por instituições estrangeiras por meio da internet", diz um alerta sobre o tema publicado no ano passado pela CVM.