Banco Central do Brasil apoia fintech de empréstimos P2P com Blockchain

O Banco Central do Brasil, por meio de um comunicado compartilhado com o Cointelegraph, destacou que o Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (Lift), desenvolvido pelo BCB e Fenasbac, resultou em 17 novos projetos para inovação no Sistema Financeiro Nacional (SFN), entre eles, um que oferece serviços de empréstimo p2p usando blockchain.

Segundo o Banco Central, a edição de 2019  selecionou 20 propostas e 17 concluíram o ciclo de desenvolvimento de protótipos. Além do uso de blockchain, os projetos incluem tecnologias como inteligência artificial, modelos de pagamento e novos modelos de aplicação para tecnologias já consagradas no mercado.

No caso da P2P Lending a fintech é uma plataforma digital de concessão de crédito para pequenas e médias empresas no modelo P2P usando DLT, "onde investidores que buscam maior rentabilidade encontram oportunidades de investimento e empresas conseguem uma taxa mais justa", segundo a empresa.

A solução cria uma espécie de 'marketplace' de crédito onde o tomador de empréstimo cria a proposta que recebe uma classificação de risco, na outra ponta, o investidor analisa a proposta junto o risco e realiza o empréstimo

"A solução usa a tecnologia de registro digital distribuído para reduzir os custos de infraestrutura tecnológica, operacional e proporcionar uma possibilidade de escala maior. Uso de DLT para ampliar a escala e reduzir custos operacionais e de infraestrutura tecnológica. Os dados são encriptados para privacidade, as transações são irrevogáveis, os participantes ao conectarem na rede têm acesso a APIs para realizarem operações automatizadas se desejarem, promovendo o conceito de Open banking", destaca a empresa.

Segundo o Banco Central, as soluções selecionadas pelo Lift, assim como a de empréstimo p2p com blockchain, permitem ao regulador acompanhar o impacto de suas ações regulatórias sobre as iniciativas de inovação, entender as dificuldades de aplicação de tecnologias dentro dos limites regulatórios e vislumbrar as oportunidades de melhoria e os potenciais de contribuição de algumas tecnologias para o Sistema Financeiro Nacional.

"Destas observações, surgem novas iniciativas para o ecossistema de inovação", destacou o Banco Central.

Quando a chamada 2019 do Lift foi aberta, em abril deste ano, o BC recebeu 30 propostas válidas, sendo 20 delas selecionadas para desenvolvimento. Os proponentes das iniciativas selecionadas puderam apresentar suas ideias ao BC e receber um direcionamento quanto às melhores práticas de implementação, quanto aos problemas centrais que precisavam ser resolvidos e também quanto ao valor de negócio da inovação como contribuição para o Sistema Financeira Nacional.

Em três meses de interação entre o BC, a Fenasbac, os provedores de tecnologia e as equipes dos projetos, compostas por representantes da academia e do mercado, as ideias foram aprimoradas e ganharam mais foco na aplicação de inovação para resolução de problemas ou para criar oportunidades no SFN.

Além da P2P Lending também foram selecionadas outras 16 iniciativas:

ANTECIPA FÁCIL - uma plataforma digital criada com o propósito de promover o acesso ao capital de giro para pequenas e médias empresas, sobretudo aquelas desassistidas ou sub atendidas pelo mercado bancário.

ANTECIPAÇÃO COM TRANSPARÊNCIA - um projeto que propõe um modelo para garantir a redução na taxa de deságio para empresas de pequeno e médio porte.

BLUPAY - O Switch de Pagamentos Instantâneos BluPay integrará as principais oportunidades geradas pelas mudanças previstas pelo Banco Central do Brasil no ecossistema financeiro com os comunicados sobre Pagamentos Instantâneos.

FINID: GESTÃO DE IDENTIDADES FINANCEIRAS DESCENTRALIZADAS - Este projeto visa criar uma identidade única, portável e segura para as instituições financeiras, com o cliente no controle dos seus próprios dados pessoais e viabilizando o acesso facilitado de contratação de serviços financeiros.

FINWEB – EMPREENDEDORISMO COLABORATIVO - cria um mecanismo que facilita a formação de parcerias colaborativas e o compartilhamento de receitas, por meio do pagamento simultâneo multipartes.

GAVEA MARKETPLACE - é um Marketplace de Commodities Físicas, uma plataforma digital de negociação que automatiza o processo de originação, cortando intermediários, sem burocracias, digitalizando contratos e reduzindo custos operacionais e transacionais, em um ambiente seguro e completo, onde tudo que acontece é imutável e rastreável.

MIDAS - Possibilitar  o  acesso  a  aplicações  financeiras,  antes  restritas  a  possíveis investidores,   que não possuem a quantidade de recurso mínimo para acessá-las e detém pouco ou nenhum conhecimento sobre o mercado financeiro. Assim como para aquelas pessoas cujo retorno sobre seus investimentos são irrisórios ou inexistentes , educando-as na prática de forma interativa.

SPIN  PAY  -  um produto que viabiliza a captura, autenticação e liquidação de uma transação de pagamento em compras online. O produto possibilita que um consumidor possa utilizar o saldo de sua conta para compras em plataformas  online,  direto  do  aplicativo  da  instituição  financeira  ou  de pagamento  de sua  escolha.

PROVI - Plataforma para elaboração de contratos de Income Share Agreement (ISA) onde estudantes possam realizar um curso sem desembolso de recursos à vista e comecem a pagar apenas depois de conseguirem uma renda mínima.

QUADRA URBANA - uma plataforma de gestão e rentabilização do ativo imobiliário, destinada a proprietários de imóveis e locatários que propiciará a estruturação de dados do mercado imobiliário (ex.: preço de venda, valor de locação, velocidade vendas) e viabilizará a antecipação de recebíveis de aluguéis para proprietários de imóveis por meio de um experiência 100% digital.

SAQUE SUPER FÁCIL - propor um modelo inovador para o processo de saque de dinheiro, melhorando a experiência dos clientes por meio da implantação da função saque nas máquinas de cartão instaladas nas empresas.

SAXPERTO -  permitir que clientes de bancos digitais ou carteiras digitais façam micro saques a partir de seu saldo disponível, através de uma rede de varejistas credenciados a um custo bastante reduzido.

SAZ - é uma plataforma de Serviços para integrar serviços de várias instituições financeiras em um único aplicativo desenvolvido no modelo de Banking as a Service (BaaS).

TRANSFERHUB - é  uma  plataforma  digital  de  tecnologia  financeira voltada para o mercado de câmbio, que realiza o “casamento” das operações de compra  e  venda  de  moeda  estrangeira  para transferências internacionais.

VENCEHOJE -  uma solução para busca automática de boletos e faturas gerados para um determinado CPF ou CNPJ, reunindo e organizando as obrigações em um único lugar de maneira segura e rápida.

WIP - é uma projeto de pesquisa aplicada um modelo de estimativa da probabilidade de demissão do colaborador de uma empresa privada. O modelo serve como insumo para a análise de crédito na modalidade consignado privado e outras modalidades, reduzindo o risco de default e, consequentemente, a taxa de juros ofertada.

Como noticiou o Cointelegraph, o presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, destacou que é importante para o sistema financeiro do Brasil adotar blockchain e outras novas tecnologias sem perder de vista a segurança do sistema.

Segundo Neto, nos próximos anos o sistema financeiro será cada vez mais tecnológico e diferente, por isso, é importante entender o processo de modernização e intermediação financeira junto com a adoção de novas tecnologias.

"Precisamos implementar todas estas novas tecnologias que estão avançado como blockchain, cloud entre outras, sem contudo perder de vista a segurança do sistema", disse.

Confira mais notícias