Polícia da Austrália descobre sindicato envolvido em lavagem com criptos

As forças policiais da Austrália descobriram uma gangue que estaria envolvida na lavagem de milhões de dólares através de ativos não rastreáveis, incluindo criptomoedas.

De acordo com um anúncio de 17 de setembro, a Comissão Australiana de Valores Mobiliários e Investimentos (ASIC) e a Polícia Federal Australiana (AFP) estão conduzindo investigações sobre uma grande quadrilha dedidaca a fraudes e roubo de identidade. As autoridades alegam que o sindicato comprou dados roubados em mercados da darknet e os usou posteriormente para invadir sistemas baseados em identidade.

Compra de ativos não rastreáveis

O sindicato teria criado contas bancárias dedicadas à fraude em vários bancos australianos, e o texto ainda acrescenta: “O sindicato cometeu crimes cibernéticos para roubar ilegalmente dinheiro das contas de aposentadoria dessas vítimas e de suas contas de negociação em empresas listadas na ASX".

Após o roubo, o sindicato lavou os fundos roubados por meio de ativos não rastreáveis, como jóias, com o dinheiro sendo voltando para contas na Austrália na forma de criptos. O comandante interino da AFP, Chris Goldsmid, disse:

“Ameaças à segurança cibernética, como violações de dados e ataques ao sistema financeiro, são uma grande preocupação para a ASIC. Nós continuaremos a perseguir não apenas crimes contra o mercado e aposentadoria relacionados à cibersegurança, mas também vamos cobrar a das instituições para cumprirem manterem suas obrigações e garantam a resiliência cibernética adequada."

Outros casos de roubo de identidade

Como publicado anteriormente, o Departamento de Justiça dos EUA acusou um grupo de hackers chamado "The Community" de vários crimes, incluindo conspiração para cometer fraude eletrônica, fraude eletrônica com agravante de roubo de identidade. As acusações de conspiração para cometer fraude eletrônica e fraude eletrônica têm uma pena máxima de 20 anos de prisão cada.

Em abriu, um juri federal dos EUA condenou dois cibercriminosos romenos por espalhar malware para roubar credenciais de cartão de crédito e minerar criptomoedas ilegalmente.