Suposta pirâmide financeira de Embu das Artes, Híbridos Club, é condenada pela Justiça

A Híbridos Club, suposta pirâmide financeira que afirma investir em Bitcoin e criptomoedas, foi condena pela Justiça de São Paulo, segundo publicação realizada em 14 de agosto no Diário Oficial do Estado de São Paulo.

Segundo a publicação, a empresa terá que pagar cerca de R$ 80 mil para um investidor que abriu um processo contra empresa afirmando ter realizado investimentos na suposta pirâmide e não ter conseguido reaver seus valores.

"Condenar a requerida ao pagamento do valor de R$ 84.480,00 (oitenta quatro mil reais quatrocentos e oitenta reais), corrigidos desde a data em que deveriam ter sido pagos pela requerida ao autora, com juros de mora a partir da citação até o efetivo pagamento e multa contratual", diz a decião

A Justiça determinou também uma pesquisa "via BACENJUD, RENAJUD E INFOJUD", para identificar valores pertencentes aos condenados e que podem ser bloqueados até que o processo seja finalmente julgado e extinto.

Quando em seu auge, a suposta pirâmide financeira, chegou a patrocinar corridas, como a Stock Car, e prometia retornos de até 20%. Segundo informações do portal Livecoins, Hélio Caxias Filho ficou desaparecido por trinta dias no ano passado. Usuários da Híbridos Club não conseguiam contato com o empresário. 

"A Híbridos Club também era apontada como a patrocinadora de Tuka Rocha na Stock Car. O piloto seria patrocinado pela empresa na temporada de 2018. Mas, antes mesmo do patrocínio ser concretizado, Hélio Caxias Filho não foi encontrado por Tuka Rocha. Dessa forma, o piloto teve que correr atrás de outros patrocínios, correndo o risco de não conseguir novos colaboradores a tempo", diz a reportagem.

Como reportou o Cointelegraph, a Híbridos Club, assim como as empresas Luque Investimentos; B&C Operações Ltda-ME; STM Operações & Investimentos; Classe A Investimentos estão na mira da Justiça, embora já tenham encerrado operações, por suspostamente lesarem diversos investidores em todo o Brasil com esquemas financieros que afirmavam usar criptomoedas.

Todas as empresas tinham sede em Embu das Artes, na Grande São Paulo.