Depois de escândalos, Unick Forex agora alega ser apenas um 'e-commerce'

A Unick Forex, que prometia retorno de investimento de até 100% e é acusada de pirâmide financeira de Bitcoin e criptomoedas, respondeu a um investidor no site Reclame Aqui dizendo que é apenas uma "e-commerce" e "nunca foi empresa de investimento". A afirmação foi destacada nesta quinta-feira, 29 de agosto, pelo portal Exame.

Segundo o texto, ao responder um dos chamados abertos no Reclame Aqui, a Unick publicou:

"Somos uma e-commerce, uma estrutura empresarial cuja atuação é feita no mercado digital. [...] A UNICK nunca foi empresa de investimento, ela não paga rendimentos, e sim bonificações."

A Unick Forex parou de pagar os resgates aos investidores em 2 de agosto, como publicou o Cointelegraph Brasil. A empresa chegou a afirmar prejuízo de R$ 1,6 bilhão por um ataque hacker, mas não apresentou provas do ocorrido. Depois disso, a empresa mudou de nome para Unick Academy, nomenclatura que no setor é usada para designar fundações educacionais.

Posteriormente, tentando evitar que suas atividades investigadas como crimes financeiros, a empresa também entregou um Termo de Compromisso para a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) do Brasil. A CVM já havia noticiado a Unick por atuação regular em 2018, mas a empresa seguiu operando irregularmente. Hoje, a empresa está proibida de operar.

Como o Cointelegrah Brasil também noticiou, o Forex é uma atividade proibida no Brasil e não há empresa autorizada para operar neste mercado. A Unick Forex prometia rendimentos acima de 30% com o investimento em criptomoedas. Mais de 5.000 reclamações da empresa estão abertas no Reclame Aqui.