Depois de indicar Fernando Ulrich para conselho, Governo Federal oficializa privatização da Casa da Moeda

Duas semanas depois de indicar o economista-chefe da plataforma cripto XDEX, Fernando Ulrich, para o Conselho de Administração (CONSAD) da Casa da Moeda, o Governo Federal do Brasil oficializou nesta terça-feira o processo de privatização da estatal.

A Casa da Moeda, no Diário Oficial da União (DOU), foi qualificada através de um decreto da presidência para o Programa de Parcerias e Investimentos (PPI) e incluída no Programa Nacional de Desestatização (PND).

Segundo a publicação, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) terá a responsabilidade pela execução e acompanhamento dos processos de privatização da Casa da Moeda.

A estatal já havia sido incluída na lista de privatizações do governo Bolsonaro em agosto, mas já em 2017, na gestão Michel Temer, teve sua privatização recomendada pelo conselho do PPI.

Além dela, o PPI conta ainda com outras 16 estatais que devem passar pelo processo de privatização, entre elas Correios, Eletrobras, Codesp, Dataprev e Telebras.

Com 17 anos de experiência no mercado financeiro, Fernando Ulrich foi indicado para o CONSAD da Casa da Moeda através do Secretário Federal de Privatização, Salim Mattar, no fim de setembro, como noticiou o Cointelegraph Brasil.

Na época, ele defendeu a adoção de blockchain na administração pública, mas descartou o uso da rede para emissão da moeda nacional:

"A tecnologia blockchain apresenta um grande potencial para a redução da burocracia, o aumento da transparência e a aceleração de processos. O potencial da blockchain tem sido estudado pelos setores público e privado, e certamente inúmeras inovações surgirão nos próximos anos em benefício dos cidadãos.”