Site da Abdan é hackeado e criminosos exigem pagamento de ‘resgate’ em criptomoedas

A Associação Brasileira para Desenvolvimento de Atividades Nucleares (Abdan) teve seu website hackeado na última segunda-feira (13/5), com os invasores pedindo resgate em criptomoedas. A notícia foi publicada em 14 de maio pelo jornal Correio Braziliense.

Além do website, todos os e-mails recebidos pela entidade teriam sido sequestrados, incluindo um banco de dados de inscritos para um evento organizado pela entidade, o WNU2019.

O presidente da Abdan, Celso Cunha, disse que os invasores pediram criptomoedas para desbloquear o acesso, o que não foi atendido pela entidade. "Mesmo que tivéssemos criptomoedas não pagaríamos", disse ele.

O presidente já teria denunciado o caso às autoridades competentes e busca tentar recuperar o acesso às informações. Nesta quarta-feira, 16 de maio, o site oficial da entidade parece ter acesso normal aos visitantes.

O presidente ainda pediu para que os inscritos no WNU2019, previsto para ocorrer de 3 a 5 de junho, em Brasília, refaçam as inscrições.

O site da Abdan informa que a Associação “é uma entidade sem fins lucrativos, que congrega a maioria das mais importantes empresas de bens de capital, de construção e montagem, do setor de consultoria e engenharia, de operação de usinas e de unidades fabris de sistemas e equipamentos, que participam das atividades nucleares no Brasil”.

Não é a primeira vez que sites governamentais brasileiros são invadidos por hackers pedindo recompensas em criptomoedas. 

Em abril, hackers roubaram dados da Câmara de Vereadores de Palmas (TO) e pediram resgate em Bitcoins. No mesmo mês, uma série de prefeituras e câmaras municipais no interior de Alagoas foram vítimas de golpe envolvendo criptomoedas.