5G no Brasil ficará para 2022 diz Ministro Marcos Pontes

Enquanto nações como China, EUA, Coreia do Sul, entre outras, devem implementar a rede 5G em seus respectivos territórios neste ano o Brasil pode ficar para trás tendo em vista que o Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, declarou que a nova rede deve ser instalada no país somente em 2022.

A estimativa anterior era de que o leilão do 5G ocorresse no Brasil neste ano, contudo há um problema, segundo o ministro, com relação a interferência  de antenas parabólicas para televisão em uma das frequências que podem ser usadas para o 5G. O Cointelegraph já havia destacado como a interferência das parabólicas poderia impactar o prazo do 5G no Brasil.

“Tenho que ter pelo menos uma estratégia de mitigação. Imagino que no fim de 2021 e começo de 2022 comece a ter implementação de um piloto. É preciso ter uma infraestrutura preparada. Há a conversa com as prefeituras para instalação de antenas, porque o 5G exige uma quantidade grande, e a regulamentação é das prefeituras. Queríamos fazer o leilão em março, mas tivemos que segurar. Existem quatro frequências básicas em torno das quais vai ser feito o leilão para as empresas poderem utilizar. A 3,5 GHz é a frequência básica de 5G em quase todo planeta, e aí a gente tem um probleminha. Existe a possibilidade de haver interferência com antenas parabólicas para televisão. Um estudo inicial não foi conclusivo, então pedi um novo”, disse o ministro.”, explicou Pontes.

Com a indefinição do Brasil sobre a implementação do 5G o país 'perder o bonde' da Internet das Coisas (IOT) que já vem movimentando a industria em todo o mundo, inclusive a de criptomoedas que inclusive tem um criptoativo desenvolvido para atuar como espinha dorsal para IoT, a IOTA e também a Lighting Network que pretende habilitar o Bitcoin para nano e micropagamentos.

Brasil deve receber mais de R$ 35 bilhões em investimento privado para impulsionar o uso e implantação do 5G no país, segundo revelou a Febraban. O valor inclui novas fábricas, criação de linhas de equipamentos e expansão de redes de fibra ótica para a nova geração de telefonia.

O 5G não é apenas uma forma mais rápida de conectividade mas uma verdadeira revolução na internet como apontam especialistas e, devido a sua baixa latência, deve 'inaugurar' aplicações voltadas para Internet das Coisas, muitas delas baseadas em blockchain para compartilhamento de dados, micro e nano pagamentos, entre outros.

Tendo o potência do 5G em mente e de como ele possibilitará o desenvolvimento de aplicações voltadas para Internet das Coisas, Da Hongfei, fundador da NEO, disse que blockchain será a "espinha dorsal" de uma nova era tecnológica e vai gerar mais de US$ 3 trilhões em negócios em até 10 anos, superando o valor de mercado de hoje do Facebook, Amazon, Alibaba, Netflix e Google.

Segundo ele a tecnologia será o "layer fundamental" de uma nova internet de valor, que terá seu 'start' no 5G e com IoT. 

“A blockchain vai gerar mais de US$ 3 trilhões em negócios, curiosamente, o valor que hoje têm as grandes empresas de tecnologia: Facebook, Amazon, Google, Alibaba e Netflix. Ela será a espinha dorsal de uma nova internet de valor que também irá conectar grandes corporações da internet além de permitir que novas tecnologias exerçam seu potencial como 5G e IoT”.

Como noticiou o Cointelegraph, a empresa 5G Américas destaca que a rede 5G promete transformar as comunicações como tecnologias anteriores não foram capazes e deve impulsionar o uso da Internet das Coisas (IoT) que tem blockchain sendo apontada como sua espinha dorsal.

Segundo a empresa, em um comunicado de imprensa compartilhado com o Cointelegraph em 09 de dezembro, as mudanças que as telecomunicações sofrerão com a chegada da 5G não impactará apenas a comunicação entre pessoas. A nova geração de tecnologias móveis também transformará a maneira como os objetos são conectados.

Confira mais notícias