Três razões pelas quais o Bitcoin está se transformando em um refúgio seguro global para os investidores

A recente desvalorização cambial da China parece alinhada com políticas semelhantes que ocorrem em todo o mundo.

Vejamos por que o preço do Bitcoin está subindo como resultado disso e por que os investidores estão cada vez mais considerando buscar abrigo no Bitcoin - uma rede neutra e sem fronteiras para armazenar e transferir valor - junto dos tradicionais ativos de refúgio seguro.

Cada moeda fiduciária está se desvalorizando de propósito

À medida que os EUA e outros países tentam impulsionar o crescimento econômico por meio de cortes de juros, os investidores estão começando a se juntar no ouro, dinheiro, títulos do governo e cada vez mais Bitcoin como cobertura, segundo o economista Raoul Pal.

Em um tópico no Twitter, o ex-executivo do Goldman Sachs explica por que o mundo está se aproximando rapidamente de uma crise cambial. Pal também acredita que o Bitcoin vai prosperar durante a iminente carnificina monetária. Ele adverte que:

“Estamos no momento mais importante nos mercados de FX em toda a minha carreira de 30 anos. O dólar parece correr o risco de um aumento descontrolado”.

Pal aponta que o índice de trade do dólar ponderado amplo do Fed está literalmente à beira de quebrar acima de um enorme copo e lidar com o padrão de 130.

Enquanto isso, o índice ADXY (Dólar da Ásia) está prestes a cair abaixo de uma linha de tendência crucial. Pal diz que uma queda de 20% ou mais em todas as principais moedas asiáticas levou o índice para com o que ele chama de "precipício da morte".

O Índice de Moeda dos Mercados Emergentes do JP Morgan também é ainda pior para esse uso e está prestes a cair para uma nova baixa.

Pelo menos outras sete moedas fiduciárias também estão caindo em valor, observa Pal, concluindo que o fortalecimento do dólar está catalisando uma enorme onda deflacionária global, o que poderia levar a uma crise financeira. O elemento positivo, no entanto, é que isso poderia ser muito bom para o preço do Bitcoin.

Pal conclui dizendo:

“Infelizmente, estamos em um dos MAIORES momentos para os mercados da história. Você pode discordar da minha avaliação das chances. Não importa. Mas você simplesmente NÃO PODE ignorar o risco."

Títulos, dólares, Bitcoin e ouro

Obrigado por prestar atenção."

O Bitcoin está cada vez menos correlacionado com os mercados tradicionais

Os investidores estão ficando cada vez mais nervosos à medida que os bancos centrais demonstram que continuarão se flexibilizando. No final da semana passada, o Federal Reserve dos Estados Unidos anunciou que reduziria as taxas de juros e menos de uma semana depois a China desvalorizou sua moeda.

Por exemplo, o seguinte gráfico USD/CNY causou furor de mídia na semana passada.

Fica claro que o fluxo do CNY para o USD está influenciando o preço do Bitcoin, já que este último subiu mais de 14% na semana passada. Além disso, os dados mais recentes da SFOX mostram que o Bitcoin é o menos correlacionado com os mercados tradicionais.

Correlação entre ativos digitais e o ouro: Fonte: SFOX

Ao mesmo tempo, os bancos centrais dos EUA e da China não são os únicos a chegar ao fundo. Recentemente, o Banco da Tailândia reduziu sua taxa em 25 pontos base, pela primeira vez desde 2015, enquanto o Reserve Bank da Nova Zelândia também introduziu um corte de 50 pontos base, o que surpreendeu muitos investidores.

Além disso, o Reserve Bank da Índia também cortou as taxas em 35 pontos base. Vale ressaltar que a taxa do banco central da Índia parece estar em relação inversa com o preço do Bitcoin nos últimos anos, de acordo com um gráfico divulgado pelo especialista em valor macro global quant, John M. Spallanzani.

Curiosamente, os aumentos das taxas parecem coincidir com os pisos de preços do Bitcoin e vice-versa nos últimos dois anos.

O Bitcoin pode dar retornos assimétricos

Outros analistas também concordam que o Bitcoin está aparecendo cada vez mais no radar dos investidores que procuram por portos seguros alternativos.

Por exemplo, no início desta semana, durante uma entrevista para a CNBC, Anthony Pompliano, cofundador da Morgan Creek Digital, discutiu como o Bitcoin reagirá à atual tendência global de flexibilização monetária.

Pompliano concorda que a desvalorização da China está desempenhando um papel importante no atual momento do Bitcoin. Ele também acrescenta que as instituições estão cada vez mais olhando para o Bitcoin porque ele “provou não estar correlacionado e fornecer um retorno assimétrico comparado aos ativos tradicionais”.

Enquanto isso, o chefe de pesquisa da Fundstrat, Tom Lee, acredita que o Bitcoin se desvinculou de um dólar forte, que foi a razão da queda nos preços em 2018, e "ficou negativo em relação ao mercado acionário".

Portanto, não é surpresa que o BTC esteja se tornando cada vez mais correlacionado ao ouro, superando significativamente os metais preciosos, as ações tradicionais e praticamente todos os ativos em 2019.

Lee diz que esta tendência pode acelerar, já que os investidores buscam abrigo em ações tradicionais. Ele também acredita que os cortes mais recentes das taxas de juros do Federal Reserve impactarão positivamente o preço da Bitcon. Em 31 de julho, ele disse:

“O Bitcon está se tornando cada vez mais uma cobertura macro para os investidores contra coisas que poderiam dar errado. Cortes de taxa estão adicionando liquidez. A liquidez está empurrando dinheiro para todos esses ativos de risco e também coberturas, o que está ajudando o Bitcoin.”

No início deste ano, Lee disse que, a este ritmo, o Bitcoin vai bater sua maior alta de todos os tempos

 

 As visões e opiniões expressas aqui são exclusivas do autor e não refletem necessariamente as opiniões do Cointelegraph. Todo investimento e movimentação comercial envolve risco, você deve conduzir sua própria pesquisa ao tomar uma decisão.