Homem de 21 anos pega 10 anos de prisão após roubar US$ 7,5 milhões em cripto ao hackear celulares

Um homem de 21 anos foi condenado a 10 anos de prisão depois de se tornar uma das primeiras pessoas nos Estados Unidos a ser condenado por roubar criptomoeda ao hackear telefones celulares. Promotores de Santa Clara anunciaram a sentença de prisão em 22 de abril.

Em fevereiro, Joel Ortiz havia se declarado culpado do roubo e aceitou o acordo judicial de 10 anos.

Ortiz roubou mais de US$ 7,5 milhões de pelo menos 40 vítimas: o comunicado de imprensa observa que ele gastou US$ 10.000 em casas noturnas de Los Angeles, contratou um helicóptero para levar a ele e seus amigos a um festival de música e comprou roupas e malas da famosa marca Gucci.

Em maio de 2018, um empresário de criptomoeda em Cupertino perdeu US$ 5,2 milhões em questão de minutos, observam os promotores.

Os promotores descreveram o ex-orador da escola secundária como um “prolífico SIM swapper, que visava o de roubo de criptomoeda das vítimas, além de assumir as contas de redes sociais delas com o objetivo de vender as criptos por Bitcoin (BTC)”.

Os SIM swaps ilegais, muitas vezes envolvem enganar as operadoras de telefonia celular para a troca de números de telefone celular para um novo cartão SIM, fornecendo endereços roubados e números de assistência social. A partir daqui, os hackers podem contornar as medidas de autenticação em duas etapas que são projetadas para manter a cripto segura.

Ortiz foi detido no Aeroporto Internacional de Los Angeles no ano passado e os investigadores dizem que só conseguiram recuperar US$ 400.000 dos fundos roubados. Eles acreditam que o resto foi escondido ou gasto. A promotora Erin West disse:

“Estes não são Robin Hoods. Estes são bandidos que usam um computador em vez de uma arma. Eles não estão apenas roubando algumas moedas etéreas e experimentais. Eles estão roubando fundos de faculdade, hipotecas residenciais, vidas financeiras das pessoas.”

Oritz foi sentenciado em 19 de abril por um juiz após duas audiências em que as vítimas descreveram a devastação financeira causada por seus crimes.

Em fevereiro, em um outro caso, um indivíduo foi indiciado em Nova York por roubar identidades e fundos, incluindo cripto, no primeiro processo de SIM swap do estado.