Indiciado o criminoso acusado do primeiro caso de furto de chip de celular em Nova York

O Promotor Distrital de Manhattan anunciou a acusação de um indivíduo por furtar identidades e fundos, incluindo criptomoedas, por meio de um processo conhecido como troca de chip. O anúncio foi feito em um comunicado de imprensa oficial da Procuradoria Distrital de Manhattan em 1º de fevereiro.

O acusado, Dawson Bakies, foi acusado de furtar as identidades de mais de 50 vítimas nos Estados Unidos e também de furtar fundos de alguns deles. O homem de 20 anos foi acusado de furto de identidade, furto, adulteração de computador e esquema para defraudar entre outras acusações em uma acusação da Suprema Corte do Estado de Nova York.

De acordo com o comunicado de imprensa do promotor de Manhattan, o caso representa a primeira acusação por troca de chip em Nova York.

O esquema de troca do chip incluía o redirecionamento do tráfego de pelo menos 50 pessoas diferentes para vários iPhones na posse de Bakies. Ele então acessou com sucesso 18 contas on-line de três residentes de Manhattan, incluindo suas contas do Google e várias contas de troca de criptomoeda e alterou as senhas da conta para impedir que as vítimas acessassem, de acordo com o comunicado de imprensa.

Depois de obter acesso, o homem supostamente roubou cerca de US$ 10 mil em criptomoedas das três vítimas e tentou extorquir uma das vítimas, exigindo pagamento em Bitcoin (BTC).

O promotor de manhattan, Cyrus R. Vance, Jr., declarou que seu escritório está "colocando o pequeno punhado de sofisticados 'Invasores de Chips' pra fora, em aviso prévio", antes de concluir "nós sabemos o que você está fazendo, nós sabemos como encontrar você, e vamos responsabilizá-lo criminalmente, não importa onde você esteja.

O Promotor Distrital também alertou os provedores de serviços sem fio a tomarem mais precauções, pedindo-lhes:

"Acorde com a nova realidade que, ao transferir rapidamente os SIMs - a fim de facilitar novas ativações e fornecer atendimento rápido ao cliente -, você está expondo clientes involuntários e cumpridores da lei a um furto de identidade e fraudes em massa".

A troca de chip é um tipo de furto de identidade no qual o ladrão encaminha o tráfego de celular da vítima para seu próprio telefone. Geralmente, isso é feito usando a engenharia social para convencer os provedores de serviços sem fio a redirecionar os dados de celular da vítima para o cartão do telefone do ladrão.

Depois de obter acesso ao número de telefone da vítima, o ladrão pode usar a autenticação de dois fatores para acessar as contas digitais da vítima, como aquelas em trocas de criptomoedas.

Como a Cointelegraph informou ontem, depois de furtar US$ 5 milhões em criptomoedas de 40 vítimas por troca de chip, Joel Ortiz, de 20 anos, se declarou culpado de furto e aceitou um acordo de 10 anos de prisão.

No mês passado, a Cointelegraph informou que um suspeito havia sido nomeado em um caso de troca de chip. No caso, o proeminente cripto investidor Michael Terpin acusou o suspeito de roubar milhões de dólares em criptomoedas, assim como acusou sua operadora de telefonia, a AT & T, de negligência.