2020 marcará o fim dos cartões de crédito e não do dinheiro físico aponta Deutsche Bank

O ano de 2020 marcará o início do fim dos cartões de crédito e não do dinheiro físico, aponta um recente relatório publicado pelo Deutsche Bank, uma das maiores instituições financeiras do mundo. Segundo o banco, a digitalização da economia, que deve ser tendência marcante no ano que se inicia acabará primeiro com os cartões enquanto o dinheiro físico continuará existindo.

"É apenas uma questão de tempo até que os smartphones tornem os cartões de plástico uma ferramenta obsoleta", destacou o banco.

Segundo o banco alemão, 2020 verá um intenso desenvolvimento em pagamentos digitais, seja em criptomoedas, QR Codes, transferências instantâneas e outras formas de uso do 'dinheiro virtual', desta forma, com a possibilidade de transferir valores automaticamente por meio de um celular ou computador cada vez mais o cartão deve se tornar obsoleto.

Além disso, o cenário mundial deve ser marcado por iniciativas de digitalização do dinheiro como a moeda digital do banco central (CBDC) que deve ser lançada pela China este ano e o Libra, stablecoin do Facebook. O banco aponta também que a crescente desconfiança com governos e políticos e a busca por ativos seguros para enfrentar momentos de instabilidade levará também a um aumento na procura por criptomoedas como o Bitcoin.

"Mas nada disso 'matará' o dinheiro (físico) que continuará 'vivo' por muito tempo ainda", destaca.

No Brasil, 2020 deve ser marcado pelo lançamento de duas importantes iniciativas que podem mudar não só o sistema financeiro nacional mas a indústria de criptomoedas local na medida em que o Banco Central do Brasil planeja disponibilizar os sistemas de Open Banking e Pagamentos Instantâneos que devem permitir o lançamento de  uma ampla gama de serviços totalmente novos.

"O Banco Central no Brasil deve lançar em o sistema de pagamentos instantâneos e isso pode mudar completamente o cenário atual, hoje, os bancos podem negar acesso a empresas de criptomoedas ao sistema, mas, com os pagamentos instantâneos, podemos ter um possibilidade única para se conectar a esta rede e isto vai permitir que as empresas possam receber e enviar fiat que é o que precisamos para realizar nossas atividades e integrar os sistemas", afirmou o CEO da Stratum Rocelo Lopes.

Como noticiou o Cointelegraph, as empresas que oferecem serviços com Bitcoin e criptomoedas no Brasil podem ter uma grande oportunidade de conectividade com o sistema financeiro tradicional em 2020, pois o Banco Central colocou em consulta pública um sistema para garantir a interoperabilidade de caixas eletrônicos para que fintechs, pequenas e médias empresas também possam usar a rede no país.

Com a nova proposta Caixas Eletrônicos no Brasil podem permitir 'saque' de Bitcoin, na medida em que fintechs que trabalham com criptomoedas pode usar o sistema para fazer a 'conversão' de Bitcoin e criptomoedas em Reais, como já fazem, Atar, Alterbank e Uzzo, por meio das bandeiras de crédito, Mastercard, Visa e Ello.

.Confira mais notícias