Zilliqa oferece fundo de US$ 5 milhões para estudantes de Oxford

A empresa Zilliqa, sediada em Singapura, lança oficinas de blockchain em colaboração com a Universidade de Oxford para incentivar a diversidade no setor.

Juntamente com a Zilliqa, a Oxford Women in Computer Science Society (OxWoCS), um grupo de Oxford que visa apoiar as mulheres na ciência da computação, realizará uma série de workshops interativos chamados Blockchain A-Z, de acordo com um comunicado de imprensa compartilhado com o Cointelegraph, em 31 de outubro.

Vencedores podem solicitar bolsas 

De acordo com o anúncio, o Blockchain A-Z será realizado na Universidade de Oxford e estará aberto a todos os estudantes atualmente matriculados na Universidade. Limitado a 20 alunos, os workshops ocorrerão entre 31 de outubro de 2019 e 21 de novembro de 2019. Os workshops abrangerão uma ampla variedade de tópicos associados aos fundamentos da blockchain, incluindo fundamentos filosóficos, tópicos técnicos, conhecimentos da indústria e negócios.

Como parte do Demo Day, em 21 de novembro, os melhores alunos serão convidados a enviar seus projetos para adquirir uma bolsa do Programa de Subsídios ao Ecossistema de US$ 5 milhões da Zilliqa.

A descentralização não funciona sem diversidade

No anúncio, a presidente da OxWoCS, Paula Fiddi, esclareceu que a missão da OxWoCS é garantir que as mulheres tenham as mesmas oportunidades para se envolver em vários campos da indústria de tecnologia.

Saiba Kataruka, líder de marketing para desenvolvedores da Zilliqa, enfatizou que os problemas de diversidade continuam sendo um "problema endêmico no setor de tecnologia em geral", acrescentando que com a blockchain não é diferente. Ela enfatizou que a descentralização é um princípio central da tecnologia blockchain, que não pode ser alcançado sem diversidade.

“Seja a diversidade de raça, profissão, formação acadêmica ou gênero, ter uma variedade de indivíduos, cada um com uma perspectiva única e uma ampla variedade de experiências a oferecer, é essencial para o sucesso. A descentralização é um princípio central da blockchain, e você realmente não pode ter descentralização sem diversidade.”

Baixo nível de igualdade de gênero na blockchain

De acordo com uma pesquisa de 2018, apenas 8,5% das 378 empresas globais de cripto e blockchain tiveram uma mulher como fundadora ou co-fundadora entre 2012 e 2018.

No início deste ano, outra pesquisa revelou que menos de 5% dos códigos, dos 100 principais projetos de cripto no Github, foram construidos por mulheres.