WSJ: Centenas de projetos criptos mostram sinais de plágio, fraude e retornos improváveis

Uma pesquisa recente do Wall Street Journal publicada em 27 de dezembro revelou que centenas de ofertas de criptomoedas mostravam sinais de atividade fraudulenta, retornos e plágio improváveis.

No curso de sua pesquisa, o WSJ baixou “white papers” de 3.291 projetos de criptomoeda que anunciaram uma oferta inicial de moedas (ICO) de três sites - ICOBench.com, Tokendata.io e ICORating.com.

Um white paper é um documento informativo emitido por uma empresa que descreve a posição da empresa, a biografia da equipe e as especificações técnicas de um projeto e foi projetado para ser usado como uma ferramenta de marketing para potenciais investidores.

Os repórteres realizaram ainda uma análise dos documentos, excluindo artigos duplicados e não ingleses:

“Para identificar a linguagem duplicada, o Journal comparou sentenças com pelo menos 10 palavras únicas para todas as outras frases em outros white papers. Os repórteres então leram e revisaram cerca de 10 mil sentenças que apareceram mais de uma vez entre os 3.291 artigos analisados e removeram a linguagem técnica e jurídica. Em seguida, o Journal comparou datas de ofertas relatadas para determinar qual documento publicou a sentença e excluiu os projetos desse banco de dados.”

A análise supostamente indicou que 16% - ou 513 - dos artigos citados acima mostravam sinais de plágio, roubo de identidade e promessas de retornos implausíveis. White papers de mais de 2.000 dos 3.291 projetos continham sentenças com termos atraentes como "nada a perder, lucro garantido, retorno sobre o investimento, maior retorno, alto retorno, lucro dos fundos, nenhum risco e pouco risco".

Reguladores estaduais e federais nos Estados Unidosreprimiram várias ofertas com linguagem semelhante, emitindo ordens de fechamento e, às vezes, apresentando queixas contra supostos infratores.

Além disso, o WSJ tentou identificar membros falsos da equipe por meio de pesquisa de imagens reversas de fotos de pessoas associadas a 343 projetos de criptomoedas, que não citavam dados importantes sobre os membros da equipe. Alguns documentos não listavam membros da equipe, então o Journal procurou por nomes aparecendo em uma lista de mais de um milhão gerenciada pelo Census Bureau dos EUA.

Em agosto, o WSJ afirmou em um estudo que a manipulação de preços de criptomoedas foi amplamente conduzida por “grupos de negociação” organizados usando serviços como o Telegram. O WSJ sugeriu que os esquemas coordenados de “pump and dump” haviam visto traders inflacionarem e derrubarem os preços de várias criptomoedas neste ano.