A quinta maior empresa aérea do mundo explora o Blockchain para diminuir custos para clientes

A companhia aérea europeia Air France-KLM fez parceria com o ecossistema de viagens blockchain Winding Tree. O objetivo da parceria é reduzir custos para os clientes da empresa, eliminando os intermediários.

A aliança revelou o novo acordo em um comunicado publicado em seu site oficial na quinta-feira, 4 de outubro.

A Air France-KLM, quinta maior companhia aérea do mundo em termos de receita em 2018, espera que o blockchain ajude a fornecer "uma oferta de viagens mais vantajosa para os clientes e mais lucrativa para os fornecedores, em particular reduzindo o número de intermediários".

Sonia Barriere, vice-presidente executiva de Estratégia e Inovação da Air France-KLM, acha que o blockchain "revolucionará as trocas no setor de viagens" tanto para clientes quanto para empresas.

Com o novo acordo, a Air France-KLM se junta às fileiras de outras companhias aéreas que já fizeram parceria com a Winding Tree.

Como a Cointelegraph informou anteriormente, a empresa já tem contratos com a Lufthansa, a Swiss Air, a Air New Zealand, a Austrian and Brussels Airlines e a Eurowings. Além disso, a plataforma de viagens de código aberto também opera para uma das maiores redes de hotéis na região dos países escandinavos e bálticos, a Nordic Choice Hotels.

As companhias aéreas podem usar blockchain para não apenas simplificar o processo de reserva, mas também para lançar programas de fidelidade, rastrear bagagens e melhorar a logística do aeroporto, bem como evitar negligência, de acordo com uma visão geral da indústria publicada pela Cointelegraph.

Por exemplo, a companhia aérea russa S7 fez uma parceria com a gigante de gás natural estatal Gazprom para usar contratos inteligentes baseados em blockchain para abastecimento de aeronaves em voos domésticos. E a Singapore Airlines lançou uma carteira digital de fidelidade baseada em blockchain, desenvolvida em parceria com a Microsoft.