A Gemini, exchange cripto dos irmãos Winklevoss, lança serviço de custódia

A exchange de criptomoedas Gemini, que tem sede em Nova York e foi fundada em 2014 pelos irmãos gêmeos Cameron e Tyler Winklevoss, lançou seu próprio serviço de custódia, o Gemini Custody.

Em um comunicado de imprensa compartilhado com o Cointelegraph em 10 de setembro, a Gemini afirma que a recém-lançada solução de custódia permitirá que seus clientes verifiquem saldos, baixem extratos de conta, façam saques e concedam aos auditores acesso apenas para visualização para confirmar saldos, transações e atividades.

Os clientes também poderão negociar seus ativos sob custódia na exchange Gemini sem esperar que sejam transferidos do armazenamento a frio.

18 ativos já suportados

A Gemini Custody supostamente suporta 18 criptomoedas, incluindo Bitcoin (BTC), Bitcoin Cash (BCH), Ether (ETH), Litecoin (LTC) e Zcash, bem como os seguintes tokens ERC-20: 0x (ZRX), Augur (REP), Basic Attention Token (BAT), Bread (BRD), Dai (DAI), Decentraland (MANA), Enjin (ENJ), Flexacoin (FXC), Gemini dollar (GUSD), Kyber Network (KNC), Loom Network (LOOM), Maker (MKR) e OmiseGo (OMG).

O CEO da Gemini Tyler Winklevoss disse que o amadurecimento tão necessário da cripto como uma classe de ativos depende da segurança da custódia. Ele acrescentou,

"Desde o primeiro dia, a Gemini reconheceu a necessidade de uma solução de custódia de classe mundial que seja segura, compatível e fácil de usar para indivíduos e instituições em todo o mundo".

Jeanine Hightower-Sellitto, diretora-gerente de operações da Gemini, explicou que os investidores institucionais demonstraram uma demanda clara e crescente por cripto, mas que alguns relutam para encontrar uma solução que atenda plenamente aos requisitos regulatórios e de segurança complexos.

Tyler e Cameron Winklevoss disseram recentemente que estão abertos a parcerias com Mark Zuckerberg no projeto de stablecoin do Facebook, o Libra. Cameron afirmou que o Libra representa um passo à frente na adoção em massa da criptomoeda.