O que se sabe sobre o suposto caso do Google Ads ter incluído a palavra-chave "Ethereum" em sua lista negra

Em 10 de janeiro, a startup de auditoria de contratos inteligentes sérvia Decenter informou que o Google colocou na lista negra palavras-chave referentes ao Ethereum (ETH) em sua plataforma de publicidade, o Google Ads.

Google Ads: não podemos confirmar que o "Ethereum" está qualificado para acionar anúncios. Consulte nossa política

A startup especificamente tuitou que viu um "obstáculo" no Google Ads contendo a palavra-chave "Ethereum" desde 9 de janeiro. A Decenter também marcou a conta oficial da plataforma de publicidade no tuíte, perguntando se eles haviam introduzido novas mudanças na política.

A conta do Google Ads então respondeu, afirmando que as exchanges cripto direcionadas a Estados Unidos e Japão podem ser anunciadas na plataforma, enquanto a segmentação de outros países pode ser o motivo da rejeição do anúncio. Embora a Decenter tenha sede em Belgrado, na Sérvia, ela não fornece serviços como exchange cripto.

Além disso, quando a startup explicou que eles são um grupo de desenvolvedores fazendo auditorias de segurança de contratos inteligentes e que estavam recebendo uma mensagem de erro ao tentar usar “ethereum development services” e “ethereum security auditits” como palavras-chave. A conta oficial do Google Ads respondeu que não podia confirmar preventivamente se a palavra-chave "Ethereum" era elegível para acionar anúncios.

"Recomendamos que você consulte a seção 'Criptomoedas' da nossa política sobre produtos e serviços financeiros."

Na referida seção de sua política, o Google Ads declara que "devido à natureza complexa e em evolução das regulamentações relacionadas a criptomoedas e produtos e serviços relacionados", a empresa só permite a publicidade de serviços relacionados a mineração e exchanges cripto. Porém, este último item é aprovado para promoção apenas no Japão e nos EUA.

O guia de do Google Ads menciona explicitamente que anúncios de ofertas iniciais de moeda (ICOs) e serviços semelhantes, além de "destinos de anúncios que agreguem ou comparem emissores de criptomoedas ou produtos relacionados" - como sinais de negociação de cripto - são proibidos.

Banimento geral seguido de relaxamento: breve introdução à relação entre o Google e as criptos

Em 2018, após um longo período sem regulamentação, a política do Google em relação às criptomoedas tornou-se significativamente mais rigorosa. Especificamente em 14 de março, a gigante dos mecanismos de busca atualizou sua política de serviços financeiros, anunciando que iria banir todas as propagandas relacionadas a criptomoedas de todos os tipos em junho.

Para justificar sua proibição de cripto, o Google disse que assim protegia seus clientes de ofertas fraudulentas, incluindo, mas não limitando-se às, “ofertas iniciais de moedas, exchanges cripto, carteiras de criptomoedas e conselhos sobre criptomoeda”. Scott Spender, executivo da empresa disse à CNBC à época:

"Não temos uma bola de cristal para saber qual será o futuro das criptomoedas, mas já presenciamos bastante dano ou potencial para prejudicar o consumidor, que é uma área que queremos abordar com extrema cautela".

O movimento foi mais tarde descrito como "injusto" e "perturbador" por especialistas do setor. Curiosamente, a notícia de uma proibição de anúncios de cripto veio apenas alguns dias depois que os anunciantes de cripto que usavam o Google Adwords noticiaram uma queda drástica no número de visualizações de seus anúncios. No entanto, conforme a Finance Magnates, o Google Ads, à época, negou qualquer alteração em suas regulamentações de serviços financeiros que bloqueariam anúncios relacionados à criptomoedas ou à ICO.

Além disso, em 25 de setembro, a gigante norte-americana de tecnologia recuou parcialmente de sua proibição geral de anúncios. O Google anunciou que estava pronto para atualizar sua política de anúncios em outubro, realocando algumas empresas de cripto para que anunciassem em sua plataforma.

De acordo com o comunicado oficial, a partir de outubro, o Google permitiria que as exchanges cripto registradas anunciassem em sua plataforma do Google Adwords, visando o público dos EUA e do Japão:

“Os anunciantes precisarão ser certificados pelo Google para o país específico em que seus anúncios serão veiculados. Os anunciantes poderão solicitar a certificação quando as políticas forem lançadas em outubro.”

A seção de criptomoedas da política de anúncios do Google já foi atualizada, mas a quantidade e a natureza exatas das empresas de cripto que já tiveram permissão para anunciar lá permanecem desconhecidas.

Decenter: palavras-chave "Ethereum" não estão funcionando para outras empresas também, o Google Ads deve dar uma explicação definitiva dentro de 48 horas

Depois de entrar em contato com o Google Ads pelo Twitter, a Decenter foi para o Reddit perguntar aos usuários do subreddit r/Ethereum sobre as alegadas mudanças na política. No post, a equipe especificou que eles testaram palavras-chave para “auditoria de contratos inteligentes ethereum” e “auditoria de contratos inteligentes eos” e descobriram que apenas a palavra-chave para o EOS mostrava anúncios.

A comunidade reagiu em grande parte criticando a posição do Google como um terceiro neutro. O primeiro comentário diz:

“O Google tem várias agendas políticas e econômicas e está disposto a usar seus vários serviços para promover suas preferências. O AdSense e o YouTube são notórios por isso, mas também houve alguns incidentes relacionados à Play Store.”

Outros usuários, em sua maioria, citaram a proibição geral anterior e a abundância de projetos de golpe como possíveis motivos para o Google Ads proibir tais anúncios. Alguns usuários relataram ter problemas com outras palavras-chave relacionadas à cripto além de "Ethereum". "Não consegui usar "bitcoin" (nem mesmo "blockchain") nos meus anúncios do Google também", dizia um dos comentários.

Quando procurado pela Cointelegraph, o CEO da Decenter, Andrej Cvoro, disse que existem outras startups que começaram a ter dificuldades com a palavra-chave do anúncio "Ethereum" neste mês:

"Estamos cientes de pelo menos cinco concorrentes diferentes que exibiam anúncios do Google para frases de pesquisa, como 'auditoria de contrato inteligente Ethereum', que pararam de ser exibidos ao mesmo tempo."

Quando solicitado a esclarecer os nomes das empresas que alegadamente lidavam com o mesmo problema, Cvoro respondeu que não era capaz de responder “com certeza”:

“Tudo o que sabemos é que existem outras empresas que costumavam exibir seus anúncios para frases de pesquisa, como 'auditorias de contrato inteligene Ethereum', o que não é mais o caso. Devido às complexidades da configuralão do mecanismo de palavras-chave do Google Ads, isso não significa necessariamente que essas empresas buscaram explicitamente 'Ethereum' como uma de suas palavras-chave, embora haja uma boa chance de que isso aconteça."

Assim, de acordo com Cvoro, os anúncios ainda estão sendo exibidos para outras tags relacionadas à cripto, mas “Ethereum” não parece estar funcionando - nem para essas empresas, nem para a própria Decenter. Isso, acrescenta o CEO da startup, sugere que "Ethereum" realmente foi colocado na lista negra:

"Por exemplo, a frase 'auditoria de contrato inteligente X' mostrará vários anúncios diferentes para qualquer X, exceto quando X = 'Ethereum'. Além disso, não encontramos uma única frase de pesquisa envolvendo o termo 'Ethereum' que mostre qualquer anúncios no Google, o que implica fortemente que 'Ethereum' como uma palavra-chave foi colocada na lista negra (intencionalmente ou não)."

De fato, uma busca no Google por “auditoria de contrato inteligente EOS” parece trazer alguns anúncios - incluindo Decenter e startups similares - enquanto o mecanismo de busca não exibe nenhum anúncio quando a “auditoria de contrato inteligente Ethereum” é pesquisada.

No entanto, o Cvoro não vincula a lista negra às restrições anteriores do Google em relação aos anúncios relacionados à cripto, já que a empresa dele não enfrentava esses problemas com a palavra-chave 'Ethereum', mesmo durante o período em que a proibição estava totalmente ativa:

“Não achamos que isso esteja diretamente relacionado à proibição generalizada do Google sobre criptomoedas do ano passado. Isso é algo que temos conhecimento desde o início de nossa campanha de anúncios do Google, mas nenhum de nossos anúncios era diretamente (e muitas vezes nem indiretamente) relacionado a criptomoedas, então eles estavam passando por revisões manuais mesmo quando eram inicialmente colocados em espera pelo algoritmo. Então, o que está acontecendo agora é diferente no sentido de que as palavras-chave que contêm 'Ethereum' não estão mais sendo revisadas manualmente, o que não parece ser o caso de outros termos ou frases relacionados a blockchain."

Em 15 de janeiro, a Decenter recebeu um email da equipe do Google Ads, informou a empresa à Cointelegraph. A resposta foi originalmente escrita em croata, mas a startup compartilhou a tradução em inglês da breve declaração:

"Obrigado por enviar uma pergunta sobre o status do Google Ads com frases-chave que contenham o termo 'Ethereum' como uma das palavras-chave.

“Devido a quão sensível é anunciar produtos e/ou serviços relacionados de alguma forma a criptomoedas, entrei diretamente em contato com o departamento responsável solicitando uma explicação detalhada de por que seus anúncios não estão sendo exibidos para as palavras-chave mencionadas.
Tenha paciência por favor. Entrarei em contato com você com uma solução final dentro de 48 horas.”

A Cointelegraph continuará a informar sobre os desdobramentos deste caso quando mais informações surgirem. A Cointelegraph também entrou em contato com o Google para mais comentários, mas a empresa não respondeu até o momento.