Urgente: Google vai reverter banimento de anúncios para casas de câmbio cripto nos EUA e Japão

O gigante de tecnologia norte-americano Google está pronto para atualizar sua política de anúncios em outubro, permitindo novamente que algumas empresas de cripto anunciem em sua plataforma. A empresa anunciou isso em um post oficial na terça-feira, 25 de setembro.

De acordo com o anúncio oficial, a partir de outubro, o Google permitirá que as casas de câmbio de criptomoedas registradas anunciem em sua plataforma do Google Adwords, visando o público dos EUA e do Japão. O anúncio diz:

“Os anunciantes precisarão ser certificados pelo Google para o país específico em que seus anúncios serão veiculados. Os anunciantes poderão solicitar a certificação quando as políticas forem lançadas em outubro.”

Esta decisão segue um anúncio em março de que todas as empresas relacionadas à cripto serão proibidas de comprar anúncios no Google Adwords, o que foi descrito por especialistas do setor como "injusto" e "preocupante".

Para justificar seu banimento de cripto, o Google disse que estava protegendo seus clientes de ofertas fraudulentas, incluindo, mas não limitado a, “ofertas iniciais de moedas, casas de câmbio de criptomoedas, carteiras de criptomoedas e conselhos de negócios de criptomoedas”.

Outros gigantes da tecnologia como Facebook e Twitter fizeram declarações semelhantes em uma onda de proibições de anúncios de cripto no início deste ano.

Desde então, o Facebook reverteu a proibição de publicidade de empresas de criptomoeda pré-aprovadas, ao mesmo tempo em que ainda mantinha a proibição do anúncio de Oferta Inicial de Moedas (ICO) – um movimento semelhante ao feito hoje pelo Google.

Em junho, durante uma entrevista exclusiva para a Cointelegraph, Jimmy Wales da Wikipédia comentou sobre as tentativas de regulamentar as indústrias de blockchain e cripto, dizendo: “Você não pode banir a matemática. Você não pode banir o blockchain.”

Em julho, o cofundador do Google, Sergey Brin, anunciou que é um minerador de Ethereum (ETH) no Blockchain Summit, no Marrocos.

Com reportagem adicional de Max Yakubowski