'Teremos um bull market bem maior que 2017', afirma colaborador da Bloomberg

O colaborador da Bloomberg Jared Dillian, afirmou em um novo artigo que acredita que teremos mais um novo bull market de criptomoedas e que desta vez a subida será ainda maior que em 2017.

Jared se considera um "crítico de criptomoedas aposentado". Depois de passar anos duvidando da nova tecnologia, o escritor se rendeu às qualidades do sistema descentralizado e recentemente vem defendendo as criptomoedas em seus artigos.

Em seu mais recente artigo, ele afirma que a principal criptomoeda pode experimentar outro mercado em alta, e que este será muito maior em comparação com a bolha de 2017.

Segundo Dillian, o dólar americano perdeu 96% de seu poder de compra desde a criação do Federal Reserve em 1913. O escritor também citou o fato de que o órgão americano recentemente ter cortado as taxas de juros pela primeira vez em mais de uma década.

A reposta mais óbvia para investidores que temem riscos e querem ficar longe de ativos voláteis é o ouro. Porém, Dillian afirmou que ele prefere o Bitcoin ao metal precioso. O escritor complementou:

"Nenhum governo pode proibir ou apreender o Bitcoin. É tecnologicamente impossível, sem uma peça de tecnologia conhecida como computador quântico. É a maneira ideal de movimentar capital de maneira transparente e secreta pelo mundo a um custo mínimo.”

Dillian falou sobre o potencial de subida do Bitcoin comparando-o à Internet, que também passou por sua fase de bolha no final dos anos 90. Durante o período, os investidores colocavam dinheiro em todas as empresas da web, mas apenas algumas delas sobreviveram à grande queda.

O escritor não tem dúvidas de que o mercado apresentará uma nova 'bull run'. Dillian disse que o novo mercado de alta não demorará a aparecer e será maior que a bolha de criptomoedas de 2017:

"Acredito que haverá outro mercado em alta, muito maior que o primeiro, onde o potencial finalmente será realizado. O Bitcoin está atualmente em um estado de negligência.”

Não é somente Jared Dillian que está otimista com o mercado. Como mostrou o Cointelegraph, o banco alemão BayernLB acredita que o ativo digital pode valer US$ 90.000 depois de maio do ano que vem.