Listas de espera para creches no Cazaquistão serão gerenciadas com blockchain

O sistema de gerenciamento de listas de espera para creches na capital Cazaquistão, Astana, implementará a tecnologia blockchain no início de fevereiro, informou o site local de notícias Elorda Info nesta terça-feira, 29 de janeiro.

No Cazaquistão os pais devem solicitar que seu filho seja aceito em um jardim de infância local, o que resulta em listas de espera para algumas escolas. As filas para creches são gerenciadas de acordo com a lei federal sob o Padrão de Serviço Estadual. A prioridade é dada às crianças cujos representantes legais são portadores de necessidades especiais, crianças sem cuidado parental, crianças de famílias numerosas e crianças com necessidades educativas especiais.

De acordo com Alisher Abdykadyrov, chefe do Departamento de Investimentos e Desenvolvimento de Negócios em Astana, o sistema descentralizado terá início em fevereiro. Abdykadyrov afirma que a blockchain irá otimizar as listas de espera e tornar todo o processo mais transparente.

De acordo com o Elorda Info, o processo de admissão nos jardins de infância de Astana foi digitalizado no ano passado. No entanto, o sistema era instável e os cidadãos reclamavam que seus dados eram armazenados incorretamente.

O novo sistema é inspirado em serviços como Booking.com, Uber e Airbnb. O banco de dados controlado por blockchain permitirá que os pais escolham um jardim de infância baseado em sua classificação e programa educacional.

O Cazaquistão já demonstrou interesse na blockchain para criptomoedas. Embora o país ainda não tenha introduzido uma estrutura legal para as criptos, o presidente do Cazaquistão, Nursultan Nazarbayev, pediu cooperação global para a regulamentação.

Na 'Blockchain Conference Astana' em junho de 2018, o governador do Astana International Financial Center, Kairat Kaliyev, disse que a organização está prestando atenção especial às blockchain e às criptocomoedas.

Kaliyev observou que o centro oferece assistência financeira para apoiar a inovação em fintech e organiza cursos de blockchain e programação.

Mais recentemente, um órgão executivo da União Econômica Eurasiática (EAEU), um sindicato que inclui o Cazaquistão, a Rússia, a Armênia, a Bielorrússia e o Quirguistão, preparou um relatório detalhado sobre criptomoedas, a fim de promover a regulamentação na área.