Polícia da Venezuela prende mineradores de Bitcoin sem documentação; suspeitos seriam irmãos de assessor do governo local

A polícia do estado de Aragua, na Venezuela, prendeu no último dia 17 dois mineradores ilegais de Bitcoin que seriam irmãos de um assessor do governador local. A notícia é do portal venezuelano El Pitazo.

Carloz Jesús e Jorge Luiz Almeida Morgado foram presos no município de Libertador transportando máquinas de mineração de Bitcoin sem a documentação necessária.

Segundo a matéria, o primeiro a ser preso foi Carlos Jesús Almeida Morgado, de 43 anos, que teria tentado fugir de uma abordagem policial e posteriormente teve seu veículo revistado e as máquinas apreendidas. O El Pitazo diz que Carlos Jesús teria adotado uma postura violenta e ofensiva contra as autoridades, sendo depois detido e enviado à delegacia de Palo Negro.

Já Jorge Luis teria sido preso na delegacia, depois de ter chegado "gritando" aos policiais, argumentando que as máquinas seriam de sua propriedade, mas tampouco chegou a apresentar a documentação requerida pelas forças policiais. Ambos foram presos pela falta de documentação e desacato.

A polícia ainda descobriu que Carlos Jesús é réu por homicídio culposo por um acidente de trânsito desde 2018. Foram encontrados com ele nove máquinas de mineração de Bitcoin, nove fontes de energia, cabos de alimentação e uma caminhonete ano 2015.

Ambos os detidos seriam irmãos de Juan Almeida Morgado, que seria um conhecido hacker que trabalhou como assessor de "altos funcionários do chavismo", segundo o portal, citando Tarek El Aissami e Rafael Lacava, dois governadores venezuelanos, o último ainda ligado a Juan Almeida.

No Instagram, Juan Almeida teria pedido "desculpas" em nome de seus irmãos e louvou o trabalho das forças policiais. Ele defendeu que a mineração digital é "totalmente legal" na Venezuela.