Tesouro dos EUA concorda com necessidade de monitorar o Libra do Facebook

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos concordou com a necessidade de uma investigação sobre o Libra, do Facebook, após uma carta do Representante Emanuel Cleaver.

De acordo com um comunicado de imprensa publicado no site do congressista Cleaver em 22 de outubro, o Tesouro deu uma resposta afirmativa ao apelo de Cleaver, para examinar o Libra e sua carteira correspondente, Calibra, quanto a possíveis riscos ao sitema.

Em agosto, Cleaver enviou algumas cartas, para o Facebook, a Calibra, o Conselho de Supervisão de Estabilidade Financeira (FSOC) e o Escritório de Pesquisa Financeira. Em setembro, o Facebook declarou que adiaria o lançamento do Libra até que os reguladores dos EUA o aprovassem.

Questionando a capacidade dos reguladores de supervisionar o Libra

Em resposta ao pedido de Cleaver, o Departamento do Tesouro observou que o Libra deve estar em conformidade com as diretrizes contra lavagem de dinheiro/combate ao financiamento do terrorismo (LBC / CFT), bem como com os requisitos da Lei de sigilo bancário.

O Tesouro questionou a capacidade dos reguladores norte-americanos e estrangeiros de supervisionar o Libra e exigir ações corretivas, se necessário, afirmando ainda que esses problemas devem ser abordados antes da liberação do Libra. O Tesouro acrescentou que monitorará o Libra e o mercado de criptomoedas, para corrigir possíveis lacunas regulatórias em conjunto com o escritório do congressista.

Em uma audiência no dia 23 de outubro, diante do Comitê de Serviços Financeiros da Câmara, o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, disse que o FSOC já havia estabelecido um grupo de trabalho especial para monitorar o Libra e o setor de criptomoedas. Mnuchin disse que as instituições participantes no Libra podem ser um caminho através da qual o FSOC regulamenta o projeto.

O testemunho de Zuckerberg perante o Congresso

Cleaver recebeu a carta um dia antes de Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, testemunhar perante o Comitê de Serviços Financeiros da Câmara sobre o Libra. Nas audiências, o deputado Tim Mahoney pediu à Zuckerberg que se comprometesse a manter a Libra longe de todas as carteiras que mantêm padrões mais baixos de controles "Know Your Customer" e AML, do que aqueles que o Facebook está prometendo para sua carteira Calibra.

Zuckerberg disse: "Não posso sentar aqui e falar por toda a Associação Libra, mas você tem o meu compromisso do Facebook".

Zuckerberg também garantiu ao comitê que o Facebook não lançará o Libra em nenhum lugar do mundo, sem ter satisfeito os reguladores dos EUA.