Laboratório de idéias dos EUA divulga relatório sobre investigação de transações ilícitas na dark web

A Rand Corporation, um Think Tank (laboratório de idéias) dos Estados Unidos, examinou mais de perto a dark web, onde é difícil descobrir, monitorar e investigar atividades criminosas.

Em 20 de novembro, a Rand Corporation, o Fórum Executivo de Pesquisa da Polícia e a Universidade de Denver, em nome do Instituto Nacional de Justiça, divulgaram um relatório que mergulha em uma variedade de aspectos criminais da chamada dark web.

Dark web fornece nível de anonimato usando criptografia

O relatório foi compilado durante um workshop no qual profissionais e pesquisadores ligados à justiça, identificaram 46 soluções em potencial, que incluem a melhoria do treinamento para a aplicação da lei, o compartilhamento de informações entre jurisdições e a investigação das lacunas e deficiências das leis atuais.

Em relação às criptomoedas, o think tank descobriu que o anonimato da dark web está apresentando desafios significativos à aplicação da lei, já que os usuários com más intenções conseguem atingir um alto nível de anonimato usando criptomoedas, com o relatório destacando o Bitcoin (BTC) , Litecoin (LTC) e Monero (XMR).

O relatório aponta ainda que, devido ao grande número de usuários legítimos de criptomoedas, especialmente para o BTC, aumenta a dificuldade das agências policiais de identificar e policiar adequadamente o comércio de bens e serviços ilícitos.

Durante o workshop, os participantes reconheceram que os métodos atuais usados ​​para identificar suspeitos na dark web, dependem amplamente de técnicas tradicionais, às quais a maioria dos policiais já está acostumada.

De acordo com o relatório, as duas principais conclusões foram de que é necessário aumentar o investimento em treinamento e nos esforços que visam melhorar o compartilhamento de informações entre as agências, tanto nos EUA quanto nas fronteiras internacionais.

Traficante de drogas da dark web condenado a perder US$ 150.000 em Bitcoin

No final de outubro, um tribunal dos EUA ordenou que Christopher Bania, que se declarou culpado de distribuição de drogas, desistisse de quase 17 Bitcoin - no valor de aproximadamente US$ 150.000 na época. A acusação de de Bania foi de posse de substâncias controladas, com a intenção de distribuir na dark web, que acarreta uma sentença máxima de 20 anos de prisão.