Autoridades dos EUA rastreiam transações com Bitcoin e acabam com a maior rede de pornografia infantil do mundo

As autoridades dos Estados Unidos analisaram as transações com Bitcoin (BTC) para localizar e posteriormente fechar um site global de pornografia infantil.

Por um comunicado de imprensa de 16 de outubro, o Departamento de Justiça dos EUA anunciou o encerramento do maior mercado de exploração sexual infantil até hoje, chamado Welcome to Video, que era operado pelo nacional sul-coreano Jong Woo Son. O site oferecia a venda vídeos de pornografia infantil usando o Bitcoin.

Cripto aproxima as autoridades da captura de criminosos

Para rastrear transações com Bitcoin e identificar usuários, o IRS-Criminal Investigations (IRS-CI), o Homeland Security Investigations e outras agências, aplicaram o software fornecido pela empresa de análise blockchain Chainalysis. O chefe do IRS-CI, Don Fort, comentou:

"Através do sotisficado rastreamento das transações de Bitcoin, os agentes especiais do IRS-CI foram capazes de determinar a localização do servidor na Darknet, identificar o administrador do site e, finalmente, rastrear a localização física do servidor na Coréia do Sul".

Uma análise do servidor indicou que cada usuário havia recebido um endereço Bitcoin exclusivo após o registro no site, o que acabou somando mais de um milhão de endereços Bitcoin e, portanto, não menos que um milhão de usuários. O comunicado ainda diz:

“As contas em moeda virtual identificadas na denúncia foram usadas por 24 pessoas em cinco países para financiar o site e promover a exploração de crianças. A denúncia de confisco procura recuperar esses fundos e, finalmente, através do processo de restauração, devolver os fundos ilícitos às vítimas do crime. ”

Como resultado da investigação, as autoridades apreenderam quase oito terabytes de vídeos de pornografia infantil, o que o torna um dos maiores confiscos desse tipo. 337 pessoas foram presas em conexão com a rede pornográfica. Vítimas do site (23) foram resgatadas nos Estados Unidos, Espanha e Reino Unido.

Melhor construção de relações baseadas em confiança com empresas de cripto

Em julho, a Chainalysis sugeriu que a quantidade de Bitcoin gasta em transações ilegais este ano poderia atingir um recorde de US $ 1 bilhão, mesmo que a proporção de transações ilegais para transações legais estava diminuindo. Muitas vezes, os mercados estavam envolvidos na distribuição de drogas e/ou pornografia ilegal.

No início de outubro, a Agência da União Européia para a Cooperação Policial (Europol) divulgou seu relatório de Avaliação de Ameaças contra a Criminalidade Organizada na Internet de 2019, no qual afirmava:

"As autoridades devem continuar a construir relacionamentos baseados em confiança com empresas relacionadas à criptomoeda, academia e outras entidades relevantes do setor privado, para lidar, com mais eficácia, com os problemas apresentados pelas criptomoedas durante as investigações."