Unick Forex é perseguida igual Bolsonaro pela mídia, diz juridico da suposta pirâmide de Bitcoin

A Unick Forex, suposta pirâmide financeira baseada em Bitcoin, que não está honrando os saques de seus clientes desde o primeiro semestre do ano, afirmou, por meio de seu departamento jurídico que a empresa é perseguida pela mídia da mesma forma que o Presidente da República, Jair Bolsonaro.

A afirmação foi feita por meio de um texto publicado por Marcos Prata, que faz parte do jurídico da Unick Forex. O advogado alega “perseguição midiática” e “linchamento virtual”  por conta das reportagens que tratam das questões da empresa.

Marcos Prata, alega que uma recente noticia sobre a penhora de bens de sócios da empersa é falsa, no entanto afirma que "a decisão ainda pode ser revertida", confirmando a decisão que ele mesmo nega e, mais a frente diz, "O juiz penhorou esse patrimônio como garantia do processo, mas a Unick não havia sido citada”.

“Trata-se de mais uma fake news cuja intenção é levar pânico, desinformação e instabilidade (...) Era de fake news, cujo escândalo vale mais que um fato. Um exemplo é a perseguição midiática a que é submetido o atual presidente do Brasil, submetido a um linchamento virtual”, disse.

Como noticiou o Cointelegraph, a Justiça do Rio de Janeiro condenou Leidimar Lopes e todos os sócios da Unick Forex a devolverem um total de R$ 28.500 a um cliente que iniciou um processo contra a empresa por atraso em saques na plataforma e danos morais.

No polo da ação também foi incluinda uma empresa chamada BRI Group Brasil Investimetnos Eirelli, que também terão os bens penhorados, até o valor da ação, para cobrir a dívida da determinação judicial.