Tron ainda não pagou totalmente pelo BitTorrent depois de um ano, afirma seu criador

O criador do BitTorrent , Bram Cohen, adicionou mais polêmica ao CEO da Tron, Justin Sun, alegando que ele não foi totalmente pago pela plataforma de streaming.

Bram Cohen diz que o último pagamento pela BitTorrent ainda está em depósito

Em uma série de "tuítes" em 25 de julho, Cohen disse que a parcela da venda da BitTorrent, comprada por Sun no ano passado, não havia chegado na íntegra.

A Tron assumiu o controle da BitTorrent por um valor não revelado em criptomoeda, com Cohen agora reclamando que a parcela final estava presa em depósito por dois meses.

“Alguém sabe se o Justin Sun está duro? Ele não está deixando o último pagamento pela BitTorrent sair do depósito”, escreveu ele.

Como o Cointelegraph informou, Sun está atualmente sob pressão após alegadamente ter provocado uma investigação por parte das autoridades chinesas sobre suas práticas comerciais.

As contas dos fatos diferem, com a mídia estatal chinesa alegando que Sun tinha o direito de viajar para o exterior restringido desde o ano passado. Ao mesmo tempo, o empresário postou fotos de si mesmo em São Francisco.

Citando problemas de saúde, Sun cancelou nesta semana um almoço com Warren Buffett, conhecido detrator do Bitcoin (BTC), pelo qual pagou mais de US$ 4,6 milhões. O pagamento para os EUA, argumentou uma fonte da mídia, poderia ter aumentado a ira das autoridades chinesas.

Fundação Tron nega que Sun seja culpado

Respondendo às reclamações da BitTorrent, o chefe de desenvolvimento de negócios da Tron Foundation, Roy Liu, solicitou a Cohen que usasse canais privados para acompanhar o atraso.

“Para sua informação, o dinheiro em depósito não é considerado dinheiro de Justin. Justin assinou contrato de liberação. Os advogados de compradores/vendedores acompanharão e se entenderão”, respondeu ele.

Cohen prosseguiu perguntando por que o pagamento estava atrasado há dois meses, mas Liu não fez mais comentários.

Da mesma forma, Cohen pareceu ignorar as críticas de outros usuários do Twitter, com foco no fato de a plataforma não ser um ambiente adequado para discutir uma venda privada.