Maior empresa de serviços sul-coreana codesenvolve sistema blockchain para certificados de energia renovável

A maior fornecedora de energia da Coreia do Sul assinou um contrato com dois fornecedores nacionais de energia para estabelecer um sistema acionado por blockchain para transações de Certificados de Energia Renovável (RECs). A notícia foi divulgada pelo site de notícias energéticas locais Energy Daily em 4 de junho.

A KEPCO - um acrônimo para Korea Electric Power Corporation - é uma corporação de capitalização de mercado de US$ 15,9 bilhões, na qual o governo sul-coreano e o banco controlado pelo estado detêm uma participação majoritária; ela possui um “virtual monopólio” sobre a geração e distribuição de energia no país, de acordo com a publicação voltada para a Ásia Nikkei.

Um acordo de negócios foi assinado entre a KEPCO e a Nambu Electric Power, após um contrato anterior para estabelecer o sistema de REC baseado em blockchain com a Korea Southern Power Co. (South Power), informou a Energy Daily.

Sob o acordo, as três organizações trabalharão para criar um sistema colaborativo para implementar um projeto-piloto blockchain liderado pelo governo para transações de REC, sob a supervisão do Ministério da Ciência da Coreia do Sul.

Após a conclusão do piloto público, as organizações farão planos para acompanhar e desenvolver o projeto do ponto de vista comercial, observa a reportagem.

O Energy Daily afirma que a implementação da blockchain deve melhorar significativamente a transparência e a eficiência de novas transações de certificado de fornecimento de energia renovável e que o projeto-piloto visa contribuir para o desenvolvimento inicial do mercado e a criação de empregos no setor doméstico de blockchain.

Em um comunicado, o presidente da South Power, Shin Jung-sik, descreveu que:

"Pretendemos concentrar todas as nossas principais competências não apenas no desenvolvimento de novos negócios, mas também na adoção [...] da era da descentralização da energia, que usa a tecnologia blockchain com uma cooperação próxima entre as três organizações".

Como publicado anteriormente, a KEPCO anunciou no outono de 2018 que usaria blockchain e outras soluções inovadoras de energia para desenvolver seu micro grid de próxima geração. Na época, a organização disse que pretendia se concentrar na descentralização, descarbonização e digitalização, que ela identificou como três tendências principais que impulsionam o futuro da indústria de energia.

Em dezembro de 2018, o governo da Coreia do Sul revelou planos de investir 4 bilhões de won coreanos (3,5 milhões de dólares) para instalar uma usina virtual com blockchain na cidade de Busan.