Gigante do tabaco Philip Morris estima que pode poupar US$ 20 milhões usando blockchain

A empresa internacional de tabaco Philip Morris está considerando usar blockchain para rastrear selos fiscais em embalagens de cigarro, como confirmou um porta-voz da empresa ao Cointelegraph em 26 de abril.

A Philip Morris International está procurando implementar tecnologias emergentes como blockchain para aprimorar a eficiência, a transparência e a efetividade de custos em seus negócios, um representande da empresa disse por e-mail ao Cointelegraph.

Especificamente, Nitin Manoharan, diretor global de arquitetura e inovação tecnológica da Philip Morris, recentemente estimou que somente a Philip Morris poderia poupar US$ 20 milhões ao reduzir a burocracia e possibilidade de fraude em selos fiscais com blockchain, de acordo com a rede de notícias cripto CoinDesk. Manoharan teria dito que o trabalho manual e os riscos de falsificação associados acabam custando à indústria e aos governos US$ 100 milhões por ano.

Enquanto Manoharan teria dito que o rastreamento de selos fiscais é apenas uma das seis aplicações de blockchain que a Philip Morris busca levar ao ar até o ano que vem, o porta-voz da empresa esclareceu ao Cointelegraph que a Philip Morris vai seguir os parâmetros do governo sobre o tema.

No começo do ano, a Reuters noticiou que algumas lojas de tabaco em Paris começaram a vender Bitcoin (BTC) por moedas fiduciárias apesar da incerteza regulatória.

Recentemente, a empresa de Iota e Internet of Things (IoT) Evrythng anunciou uma parceria para aplicar tecnologias blockchain e IoT para oferecer maior transparência para as cadeias de fornecimento de bens de consumo.