O Fed imprimiu mais dinheiro neste mês que todo o valor de mercado do Bitcoin

Os proponentes do Bitcoin (BTC) estão emitindo um novo alarme após o Federal Reserve dos Estados Unidos imprimir mais do que todo o seu valor de mercado em dinheiro novo neste mês.

Balanço do Fed se aproxima de US$ 4 trilhões

Conforme observado pelo especialista em redes sociais de criptomoeda Dennis Parker em 21 de outubro, desde meados de setembro, o Fed injetou US$ 210 bilhões na economia.

Parte de sua recém-revitalizada estratégia de flexibilização quantitativa (QE), a medida supera o valor total de mercado do Bitcoin, que é de US$ 148 bilhões.

A QE se refere à compra de títulos do governo para fornecer estímulo econômico. Parker observa que o balanço do Fed saltou de US$ 3,77 trilhões no mês passado para US$ 3,97 trilhões. Anteriormente, havia sido maior, enquanto as projeções do próprio Fed exigem um balanço patrimonial no valor de US$ 4,7 trilhões até 2025.

Mundo “sonâmbulo” para a próxima crise financeira

Para os detentores de ativos que não podem ter seu suprimento inflado, como ouro e Bitcoin, a impressão de dinheiro gerou regularmente chamadas para diminuir a dependência da moeda fiduciária.

A sugestão de Parker de que os investidores comprassem BTC agora veio em meio a avisos do próprio estabelecimento fiduciário sobre a saúde do sistema bancário.

Em discurso na reunião geral do Fundo Monetário Internacional na semana passada, o ex-presidente do Banco da Inglaterra, Mervyn King, disse aos participantes que o mundo estava "sonâmbulo" para uma crise financeira ainda pior do que a de 2008.

"Ao nos apegarmos à nova ortodoxia da política monetária e ao fingir que tornamos o sistema bancário seguro, estamos andando sonâmbulos em direção a essa crise", resumiu.

O conceito de que práticas econômicas intervencionistas por parte de governos e bancos centrais leva à destruição financeira constitui um dos princípios centrais do livro "The Bitcoin Standard", de Saifedean Ammous.

Lançado em março de 2018, o livro concentra-se no Bitcoin, comparado-o a moeda fiduciária e commodities como ouro.

Como observou o Cointelegraph, aos dez anos de idade, o Bitcoin chega a 40% da vida útil média da moeda fiduciária.