Congressista do Texas Clama por Regulações mais rigorosas para as Criptomoedas

O congressista do Texas Roger Williams pediu controles sobre as criptomoedas para garantir que não ajudem atividades criminosas ou terroristas.

O rápido aumento da popularidade do Bitcoin destacou a evolução das criptomoedas. Consequentemente, atraiu também muitas críticas e ceticismo. A maioria dos céticos aborda os riscos devido à alta volatilidade, à falta de proteção ao consumidor e à possibilidade de problemas no controle central da moeda em casos de criptomoedas sendo usadas em grande escala.

Ceticismo

Williams pediu que as startups de criptomoeda sejam submetidas a regulamentos antilavagem de dinheiro (AML na sigla em inglês) e conheça seu cliente (KYC na sigla em inglês).

Esses pontos foram adicionados como aditamento a uma audiência intitulada "Moeda virtual: Inovação financeira e Implicações de segurança nacional", realizada pelo Subcomitê de Terrorismo e Finanças Ilícitas do Comitê de Serviços Financeiros da Câmara em 8 de julho de 2017.

Guardando Bitcoin

Embora Williams tenha reconhecido que a criptomoeda está reestruturando as finanças internacionais e está oferecendo cada vez mais uma ampla gama de oportunidades sem precedentes, ele enfatizou que precisa ser monitorado.

Como a criptomoeda é executada através de mídia digital, torna-se vulnerável a ser usada por elementos antiestatais, terroristas e criminosos, ele afirma.

Por isso deve ter regulamentos de proteção para garantir que não seja mal utilizada. Para conseguir isso, Williams sugeriu que todas as criptomoedas em circulação devem estar sujeitas aos mesmos requisitos legais que as outras instituições financeiras.

O argumento apresentado pelos operadores e usuários de moedas digitais é que as criptomoedas requerem o relaxamento desses regulamentos para funcionar de forma eficiente. Williams discorda, insistindo que as salvaguardas e os controles garantirão que as atividades criminosas não sejam auxiliadas e que elas sejam usadas somente para melhorias.


Siga-nos no Facebook