SWIFT acha que a criptomoeda é inútil pois 'seu valor é como um ioiô'

O provedor de rede de pagamentos interbancários Society for Worldwide Interbank Financial Telecommunications (SWIFT) descartou as criptomoedas como "inúteis e instáveis".

Uma reportagem do FXStreet publicada em 10 de setembro cita representantes não identificados da SWIFT em um briefing de Londres no início desta semana, que supostamente alegaram que:

"Elas perdem valor como um ioiô, são inúteis e instáveis. E mesmo que as empresas de cripto [o tornem] estável, ainda é uma cesta de moedas”.

SWIFT não está incomodada por concorrentes como a Ripple

No briefing, os representantes, porêm, admitiram as deficiências da própria rede SWIFT, que conecta cerca de 11.000 bancos e instituições financeiras em todo o mundo.

Embora processe milhões de pagamentos diariamente, ela peca pela falta de eficiência significativa de custo e tempo.

"Se você deseja enviar um pagamento [com SWIFT] da Austrália para a China após o meio-dia, você instantaneamente tem um atraso de 12 horas por causa do horário de funcionamento", admitiram representantes.

Porém, esse reconhecimento não se estendeu a uma sensação da ameaça potencial apresentada por alternativas baseadas em blockchain, como a solução xRapid da Ripple, que usa o token XRP para facilitar a liquidação instantânea de dinheiro enviado em uma moeda para uma moeda de destino.

A SWIFT acredita que o Libra do Facebook pode ter impacto no curto prazo

Um rival em potencial que a SWIFT reconhece é a planejada stablecoin do Facebook, o Libra, que seria integrada aos três aplicativos de propriedade exclusiva da gigante das mídias sociais - WhatsApp, Messenger e Instagram - levando sua potencial exposição a 2,7 bilhões de usuários por mês.

Contudo, mesmo em relação ao Libra, os representantes da SWIFT anteciparam que seu impacto seria reduzido a curto prazo.

Conforme relatado, os ambiciosos planos de criptomoeda do Facebook provocaram uma série de preocupações não apenas dos rivais no setor comercial, mas também de cidadãos, figurões do setor cripto, governos, reguladoresbanqueiros centrais em todo o mundo.