Startup Finturi levanta US$ 2,2 milhões para sua plataforma blockchain de recibos financeiros

A startup holandesa de blockchain Finturi levantou 2 milhões de Euros  (US$ 2,2 milhões) para ajudar negócios a assegurar empréstimos contra faturas via tecnologia blockchain, conforme publicou a empresa em tweet em 12 de março.

Fundada em setembro de 2018, a Finturi busca ajudar o financiamento de faturas de negócios ao ligá-las aos financiadores para emprestar dinheiro contra faturas, usando blockchain e inteligência artificial (AI), de acordo com relatório da publicação focada em startups EU-Startups.com em 11 de março.

A Finturi teria levantado seu primeiro investimento atravês de uma "rodada de anjo" liderada pela NetSam Participaties BV, que evidentemente participou do investimento pela primeira vez, de acordo com o Crunchbase.

A plataforma de invoices financeiros em blockchain da Finturi tem previsão de lançamento para o terceiro trimestre de 2019. De acordo com o relatório, a equipe da Finturi planeja fornecer uma plataforma totalmente em peer-to-peer (P2P) no futuro que incluirá os clientes de negócios.

Expressando preocupação com as dificuldades de novos negócios no levantamento de capital, o CEO da Finturi Johannes Brouwer declarou que a empresa busca permitir que os negócios possam contrair empréstimos contra faturas em até 24 horas. De acordo com o CEO da Finturi, a plataforma em desenvolvimento vai oferecer aos financiadores uma "plataforma para investimento em faturas com o mínimo de dificuldades”.

O principal investidor da NetSam Participaties BV disse que a tecnologia blockchain combinada com AI tem potencial importante para eliminar ineficiências existentes nos processos financeiros ao cortar custos, acelerar o tempo de processamento e oferecer mais segurança.

Recentemente, cinco bancos japoneses entraram em uma parceria pra lançar uma infraestrutura de serviços financeiros baseada em blockchain. Mirando uma série de operações financeiras para aprimoramento da eficiência, os bancos irão usar da expertise da IBM durante a fase de desenvolvimento.

Na última semana, o economista e notório crítico das criptomoedas Nouriel Roubini argumentou que a blockchain não tinha nada a ver com o futuro dos serviços financeiros. Roubini excluiu o termo da lista de grandes tecnologias que ele enxerga liderando uma revolução manufatureira ou fintech, incluindo AI, aprendizado das máginas, big data e a Internet das Coisas.