Startup sul-coreana alega ter resolvido problema de velocidade da blockchain

A empresa sul-coreana Bloom Technology anunciou que criou uma nova tecnologia capaz de acelerar as transações na blockchain.

Em 3 de dezembro, a United Press International informou que o CEO da Bloom Technology, Lee Sang-yoon, disse que a tecnologia Lotus Chain da empresa conseguiu reduzir o tempo de processamento de transações blockchain em frações de segundo. 

Uma única transação blockchain leva menos de 0,23 segundos

A empresa conduziu um teste público com 635 nodes participantes para revelar a velocidade de transação da tecnologia Lotus Chain. Os resultados mostraram que uma única transação blockchain levou entre 0,13 e 0,23 segundos. O vice-presidente da Korea Blockchain Association, Moon Young-bae, comentou os testes:

"A Locus Chain ainda está em desenvolvimento para se tornar uma versão completa. Mas acredito que a tecnologia já é comercialmente viável [...] acho que é um negócio real."

Lee destacou ainda mais a importância de transações blockchain mais rápidas, apontando que atualmente as transações geralmente levam "mais de 10 minutos para criptomoedas e até mais de uma hora para o Bitcoin". 

Coreia do Sul fornecerá uma base legal para criptomoeda

Em novembro, o comitê de política nacional da Assembléia Nacional da Coréia do Sul aprovou um projeto de lei para fornecer uma base legal para criptomoeda no país, trazendo clareza e transparência regulamentares aos mercados cripto na Coréia do Sul. O projeto ainda precisa ser aprovado pelo comitê judiciário, mas, se aprovado, a lei entrará em vigor em 2020.

Esta não é a primeira tentativa das autoridades sul-coreanas de fornecer mais clareza regulatória aos mercados. No início de 2018, os reguladores sul-coreanos proibiram o comércio anônimo em exchanges de criptomoedas, de acordo com os esforços de combate à lavagem de dinheiro e identificação no país.