Sergio Moro pode disputar presidência contra Bolsonaro em 2022; Bitcoin pode ser 'porto seguro' em possível crise

O Ministro da Justiça, Sergio Moro, pode deixar o Governo de Jair Bolsonaro e disputar a presidência da Republica justamente contra Bolsonaro em 2022, segundo reportagem do MS Notícias, publicada em 27 de agosto.

De acordo com comentários de bastidores a divulgação de conversas no Telegram ajudou a impulsionar a crise entre ambos. A divulgação dos aúdios foi feita pelos 'hackers da lava jato' que ainda são alvo de investigações pela justiça se receberam pagamento em Bitcoin ou criptomoedas para executar as invasões.

Segundo a reportagem, o jornalista Gerson Camarotti, da GloboNews, também vê o ministro Sérgio Moro praticamente fora do governo Jair Bolsonaro devido a tensão cada vez mais latente entre ambos.

O clima pesado preocupa o governo. Moro pode ir para o partido NOVO, do deputado Vinicius Poit que tem liderado diveras iniciativas para discuasão de blockchain no Congresso.

Rosine Kadamani, co-fundadora da Blockchain Academy está na capital federal para uma série de debates e encontros sobre blockchain e criptomoedas e destacou que isso pode gerar certa instabilidade no pais, tendo em vista também a taxa de reprovação do governo que vem aumentado, conforme pesquisa divulgada hoje, 27 de agosto.

Neste cenário, o Bitcoin pode tornar-se, uma alternativa para reserva de valor frente aos possíveis impactos na economia.

“Não se sabe se é verdade ou não, mas cenários de instabilidade política ou não favorecem a compreensão de que o Bitcoin pode servir como hedge a qualquer tipo de realidade dependente do Estado. Isso não eh uma sugestão de investimento, mas certamente sim uma sugestão de pesquisa e compreensão da natureza deste relevante ativo”, destacou Kadamani.

Já para Fabiola Greve, pesquisadora em computação distribuída e em Blockchain da Universidade Federal da Bahia:

"As várias camadas que a tecnologia agrega em nível global e compartilhado dão a segurança necessária para que poupadores considerem bitcoin como ativo de proteção. Necessário cuidado quanto à exposição" declarou

Como reportou o Cointelegraph, a Reforma Tributária proposta pelo Presidente da República, Jair Bolsonaro, que vem sendo debatida na Câmara dos Deputados, pode impulsionar a adoção de Bitcoin criptomoedasno Brasil, segundo os especialistas Bruno Meyerhof Salama e Guilherme Bandeira.

Segundo os autores, por permitirem grandes movimentações financeiras de forma rápida os criptoativos podem ganhar ainda mais espaço caso a reforma, nos moldes atuais, seja aprovada.

"As criptos permitem a movimentação rápida, barata e relativamente segura de altos valores. Seria extremamente custoso e ineciente pagar em cédulas de R$ 100 reais ou em barras de ouro uma dívida de R$100 milhões (...) em maio deste ano, foi movimentado, em apenas uma operação, o equivalente a US$ 435 milhões em Bitcoins (40.000 unidades de bitcoin para ser exato). O custo foi de apenas 1 dólar e nove cents pago aos mineradores!"