Venda do token Gram, do Telegram, na exchange Liquid não é oficial, dizem fontes

A intenção da Liquid de vender o token do messenger encriptado Telegram, o Gram, não está lidada à empresa, segundo uma fonte próxima ao Telegram revelou ao Cointelegraph em mensagens privadas de 11 de junho.

Como o Telegram noticiou na quinta-feira, a exchange cripto Liquid anunciou que em 10 de julho seria representante das vendas do token Gram do Telegram para a Gram Asia. A Gram Asia seria a maior proprietária de tokens na Ásia, segundo comunicado da Liquid.

Porém, uma fonte próxima ao Telegram disse não haver relacionamento entre a Liquid e o Telegram.

Em um comentário em privado, um investidor do token do Telegram disse ao Cointelegraph que ninguém tem o direito de vender os tokens antes de seu lançamento oficial, de acordo com documento assinado por todos os investidores.

De acordo com o já mencionado acordo de compra dos Grams - também informado pelo Cointelegraph - os compradores dos tokens não podem vendê-los durante um período restrito, desde a data do acordo de compras até 18 meses depois do lançamento do TON.

De acordo com o documento, o comprador também está impedido de participar de uma troca ou acordo que transfira a propriedade de um contrato de investimento em tokens Gram, total ou parcialmente. O documento afirma que os compradores de token Gram concordam em não:

“ENTRAR EM QUALQUER troca ou ACORDO QUE TRANSFIRA, total ou parcialmente, QUALQUER DAS CONSEQUÊNCIAS ECONÔMICAS DA PROPRIEDADE DO PROPRIETÁRIO DO CONTRATO DE INVESTIMENTO representado por este Acordo de Compra ou quaisquer tokens.”

O Telegram conduziu duas vendas privadas de tokens para investidores credenciados no ano passado, registrando um total de US $ 1,7 bilhão. Na época, vários relatos de sites falsos de venda de tokens do Telegram foram denunciados, alguns usando o white paper já vazado para dar autenticidade ao golpe.