S7 Airlines processa mais de US$ 1 milhão através de plataforma de pagamentos em blockchain em julho

A S7 Airlines, membro da importante aliança global de aviação Oneworld, processou mais de US$ 1 milhão através de seu sistema de pagamentos em blockchain mo mês de julho.

S7 processou quase US$ 4 milhões em pagamentos em sua plataforma blockchain desde janeiro de 2019

Segundo um comunicado oficial de 30 de julho, a S7 tem visto um crescimento notável nas transações de sua rede de vendas em blockchain, desenvolvida em parceria com o maior banco privado da Rússia, o Alfa-Bank.

Nikolai Mukhanov, diretor executivo da S7 Techlab, disse que a plataforma tem visto não só um aumento significativo no número de pagamentos, que cresceu dez vezes desde janeiro, mas também em vários outros processos automatizados.

Mukhanov destacou que o sucesso da plataforma deve-se, em grande parte, à plataforma Hyperledger Fabric.

Segundo um texto da agência cripto ForkLog, a plataforma blockchain da S7 processou cerca de US$ 3,9 milhões em pagamentos desde janeiro de 2019.

Plataforma blockchain da S7 conecta agentes diretamente, em conformidade com o padrão NDC

A S7, maior companhia aérea da Rússia, planeja implantar seus primeiros agentes online ainda este ano, segundo palavras da diretora de vendas do grupo S7, Ekaterina Dmitruk, no comunicado à imprensa.

De acordo com Dmitruk, a plataforma blockchain permite que os agentes trabalhem diretamente com a companhia aérea, também atendendo ao padrão de Nova Capacidade de Distribuição (NDC).

Em julho de 2017, o vice-presidente-executivo da S7, Pavel Voronin, afirmou que a empresa processou a primeira compra de bilhetes aéreos do mundo através uma blockchain de API aberto para um banco.

Em agosto de 2018, a S7 fez uma parceria com a gigante de petróleo estatal Gazprom para aplicar contratos inteligentes baseados em blockchain ao abastecimento de aeronaves.

Recentemente, o Cointelegraph noticiou que a Venezuela estaria usando Bitcoin (BTC) em vez da moeda digital nacional Petro (PTR) para driblar as sanções dos Estados Unidos em aeroportos.