A maior corretora da Coreia do Sul executa auditoria interna e dispersa as alegações de fraude

A maior casa de câmbio de criptomoedas da Coréia do Sul disse que realizou uma auditoria interna que contesta as suspeitas de fraude,relatou a mídia local nesta terça-feira, 15 de maio.

A UPbit, que sofreu uma visita repentina dos reguladores financeiros na sexta-feira, 11 de maio, sob uma suspeita de que funcionários haviam falsificado balanços, ainda não publicou os dados da auditoria, o que, segundo ela, demonstra que suas moedas são reais.

Citando o CEO da corretora, o site de notícias local Naver agora informa que os relatórios da UPbit estão "100%" em sintonia com suas carteiras.

Alegações de que um “mal-entendido” entre os inspetores do governo em relação a várias carteiras causaram com que as suspeitas parecessem válidas, acrescentaram comentadores de mídia social na terça-feira.

A inspeção original de sexta-feira causou pânico nos mercados e coincidiu com os administradores da Mt,. Gox aparentemente vendendo mais uma parcela de fundos de liquidação de clientes, resultando em vários dias de queda de preços.

Embora o assunto não esteja oficialmente resolvido, os relatórios da UPbit sobre a auditoria pareceriam contraproducentes se feitos em um momento em que nenhuma informação concreta existisse.

"Vamos ver como a história se desenrola, mas acho altamente improvável que a UPbit fizesse um discursso de inocência se eles estivessem sob investigação, onde a prova seria facilmente vista através de transações blockchain", escreveu um comentarista de criptomoedas.

A UPbit, é de propriedade de uma subsidiária da gigante de comunicações sul-coreana Kakao, e é a quinta maior corretora cripto, vendendo cerca de $910 milhões em transações até o dia dessa publicação.