Dinheiro como conhecemos não vai mais existir em 10 anos, diz co-fundador do ViaBTC

O Co-fundador do pool de mineração ViaBTC, Ryan Xu, declarou, durante a WDMS 2019 que o dinheiro passará por uma transformação nos próximos 10 anos. Segundo ele, cada vez mais aplicações baseadas em criptomoedas, como o Libra serão lançadas assim como cada vez mais governos irão ‘digitalizar’ suas moedas nacionais.

A tendência, de acordo com Xu, é inevitável e visa atender a demanda por um novos sistema financeiro mais ‘adequado’ a globalização digital.

“Olhando para os últimos dez anos, você pode dizer que o mundo passou por uma grande transformação. O valor da Apple disparou, assim como o custo de vida, os métodos de pagamento mudaram e quando o primeiro bloco de Bitcoin foi extraído em 2009, a recompensa foi de 50 BTC. Os próximos dez anos terão mais mudanças. Mais aplicativos como o Libra do Facebook serão lançados, mais governos lançarão suas próprias moedas digitais, a mineração aumentará em popularidade e mais pessoas entrarão no mercado. A atenção e aceitação do público em geral em relação às criptomoedas aumentará”, disse.

No mesmo evento, Joseph Seibert Signature Bank acrescentou que um dos fatores que podem acelerar ou desacelerar esta transformação na economia e a adoção das criptomoedas é a criação de uma estrutura regulatória, que ainda não existe e deixa um vazio na criação de inseguranças tanto para player quanto para usuários.

Já Rachel Lin da Matrixport acrescenta que, com o tempo, as autoridades se atualizarão, como mostram exemplos como Libra, mas concorda que o quadro regulatório é de suma importância. 

Como noticiou o Cointelegraph sobre a digitalização da economia, o presidente do banco central do Chile, Mario Marcel, diz que as moedas digitais de banco central (CBDC) podem fornecer flexibilidade adicional em um momento de "políticas monetárias não convencionais".

Confira mais notícias