Russos pedem “Hora da Cripto” - desligamento de todos equipamentos de mineração para conscientização ecológica

A Hora do Planeta, um movimento de base no World Wildlife Fund para desligar toda a eletricidade por uma única hora uma vez por ano, como forma de chamar a atenção para o consumo de energia, também será comemorado por mineradores russos neste ano com a criação da "Hora da Cripto", informou a agência de notícias local Rambler em 15 de março.

Para lembrar a criptosfera da necessidade de tecnologias Blockchain mais ecologicamente amigáveis, os mineradores de cripto russos pediram a todos os mineradores que desligassem seus equipamentos de mineração no dia 24 de março, das 20:30 às 21:30 (horário local).

A campanha da Hora da Cripto é liderada por Peter Dvoryankin, fundador da rede internacional de investidores CryptoLife e membro do conselho especializado da Duma russa para o desenvolvimento fintech. Dvoryankin disse à Rambler que o objetivo da campanha é criar mapas de "mineração ecológica" que mostrem os locais mais ecologicamente corretos para a mineração de cripto devido à proximidade com fontes de energia renováveis ​​em áreas de temperaturas corretas.

Dvoryankin acrescentou que as campanhas também exigem "a criação de sistemas para aproveitar o calor gerado no processo de mineração e desenvolver tecnologias de livros-razão distribuídos menos intensivas em energia".

Rambler observa que a rede Bitcoin (BTC) já usa mais de 50 terawatt hora de energia por ano, acrescentando que se o uso continuar na taxa atual, a mineração do BTC usará tanta eletricidade quanto o resto do mundo combinado até 2020.

Já foi relatado em fevereiro que a mineração de cripto na Islândia vai usar mais energia elétrica do que todas as residências do país em 2018.

O site russo para a Hora do Planeta mostra que mais de 50 mil pessoas se comprometeram on-line a participar do apagão de uma hora, cujo lema é "Vote pela Natureza", enquanto o Rambler cita o número de russos que planejam participar em mais de 30 milhões. O site também permite que os participantes votem para proteger as reservas de terra natural, usando energia verde e reciclagem, com seus votos enviados ao futuro presidente da Rússia.

O problema do que fazer com o excesso de energia produzido pela mineração foi resolvido de forma inovadora por um processo de uma startup Blockchain tcheca que planeja usar este excedente para aquecer estufas para a produção de vegetais comestíveis.

No entanto, uma iniciativa de mineração de energia limpa foi bloqueada na Europa depois que uma das maiores empresas de energia elétrica do continente europeu se recusou a vender energia renovável para a empresa de mineração de cripto Envion em fevereiro.