Empresa de mineração norte-americana, Riot Blockchain divulga relatório financeiro com US$ 58 milhões em perdas em 2018

A empresa norte-americana de mineração de criptomoedas Riot Blockchain publicou seu relatório financeiro de 2018 revelando uma perda de US$ 58 milhões no último ano.

A maioria das mineradoras de criptomoedas da empresa estão em Oklahoma City, nos Estados Unidos, o pode pesar nos custos fixos relacionados aos serviços públicos, mão-de-obra e depreciação, tornando-os mais altos do que a maioria das outras empresas de mineração.

Antes de seu interesse abrupto na indústria de moedas digitais, a Riot se posicionou como uma empresa de biotecnologia e desenvolveu máquinas de diagnóstico médico. A empresa minerou 1.081 Bitcoins e 3.0213 Litecoins no ano passado, ganhando um total de US$ 7,7 milhões.

A Riot Blockchain figura entre as empresas que mudaram seu nome para incluir o termo blockchain. O resultado da mudança de título da Bioptix foi um aumento quase imediato no preço das ações em fevereiro de 2018. O preço de cada ação explodiu de meros US$ 8 para mais de US$ 40 dentro de alguns dias.

De acordo com um relatório da CNBC publicado em 3 de abril, o auditor financeiro da Riot também levantou preocupações sobre os relatórios da empresa. Embora o resultado anual de 2018 pareça estar correto, o auditor disse que os relatórios financeiros da Riot continham "fraquezas materiais" que poderiam afetar a precisão dos relatórios futuros. A empresa disse que pretende corrigir esses problemas até o fim do ano fiscal de 2019.

No final de 2017 a empresa tinha US$ 41,6 milhões em caixa. Atualmente o número está próximo de US$ 225 mil. Além disso, a Riot à espera de uma investigação formal pela SEC em relação a uma intimação apresentada em abril de 2018. Por enquanto, a empresa planeja recorrer a ações ou dívidas para financiar seu arrendamento e outras despesas.

A Riot Blockchain está longe de ser a única empresa a ter perdido dinheiro na mineração com criptomoedas desde o auge da corrida de 2017. O fabricante e gigante de mineração Bitmain se viu em uma situação difícil depois que os preços do Bitcoin (BTC) e do Bitcoin Cash (BCH) caíram fortemente ao longo de 2018. Após registrar um lucro saudável em 2017, a empresa perdeu mais de US$ 500 milhões somente no terceiro trimestre de 2018.

A Bitmain tinha a intenção de lançar uma oferta pública inicial (IPO) na Bolsa de Valores de Hong Kong (HKEX), em um esforço para angariar fundos. No entanto, o pedido expirou em 26 de março de 2019, provavelmente devido à situação financeira desanimadora do mercado e da empresa.

A GMO, gigante japonesa do ramo de criptomoedas, anunciou a perda de US$ 5,5 milhões para sua divisão de mineração de criptomoedas no terceiro trimestre de 2018. A empresa informou sua saída do ramo de mineração de criptomoedas, conforme publicado pelo Cointelegraph.