GMO Internet encerra produção de minerador de Bitcoin após registrar "perda extraordinária" no quarto trimestre

A gigante da internet japonesa GMO Internet Group está deixando o setor de hardware de mineração de Bitcoin, informou a Cointelegraph Japão em 25 de dezembro fazenod referência a um documento p[ublico.

Citando uma "perda extraordinária" no quarto trimestre deste ano, a GMO, que iniciou sua incursão na mineração de Bitcoin em 2017, disse que "não vai mais desenvolver, fabricar ou vender" mineradores.

"Depois de levar em consideração as mudanças no atual ambiente de negócios, a companhia acredita que será difícil recuperar os valores contábeis dos ativos de negócios internos relacionados à mineração e, portanto, decidiu-se registrar uma perda extraordinária" diz o documento.

A GMO vai realocar ainda mais sua operação de mineração "para uma região que nos permitirá garantir um fornecimento de energia mais limpo e mais barato".

A notícia faz da GMO a mais recente baixa do mercado de urso do Bitcoin (BTC) de 2018, com a queda dos preços afetando a rentabilidade da mineração.

Como relatado pela Cointelegraph, cenas da China mostraram um grande dumping de hardware, seguido por notícias de demissões no grande player Bitmain.

Depois de fechar suas operações israelenses, esta semana, novos relatórios sugeriram que a Bitmain estaria se preparing para demitir até a metade de sua força de trabalho de 2.500 pessoas.

As perdas consolidadas da GMO no quarto trimestre totalizaram 35,5 bilhões de ienes (US $ 320 milhões), enquanto a perda não consolidada será de cerca de 38 bilhões de ienes (US $ 334,5 milhões).

A empresa disse que as perdas não afetaram sua "integridade financeira".

Por outro lado, em novembro, a empresa relatou o desempenho “histórico” de seus projetos de criptomoeda no terceiro trimestre, que incluíram vendas de hardware de mineração. Os lucros totalizaram 2,6 bilhões de ienes (US $ 22,8 milhões).