Regulador do Quebec pede que investidores em empresas blockchain que não estejam em conformidade se apresentem

A autoridade reguladora dos mercados financeiros de Québec pediu a investidores na empresa Laboratoire Blockchain que se apresentem, agora que a firma e os indivíduos associados enfrentam uma série de ordens injuntivas sobre suas supostas violações das leis de valores mobiliários. O apelo foi feito em um comunicado oficial publicado em 18 de março.

A AMF (l'Autorité des marchés financiers) afirma que o Tribunal Administrativo dos Mercados Financeiros de Quebec (TMF) emitiu uma série de ordens injuntivas contra o Laboratoire Blockchain (também conhecido como Blockchain Lab) e três indivíduos associados - Jonathan Forte, Benjamin Forte e Nicolas Barbasch-Bouchard - em 12 de março.

As ordens, emitidas devido a supostas violações das leis nacionais de valores mobiliários, proíbem os réus de todas as atividades relacionadas à promoção e transação de valores mobiliários. Eles também estipulam que os réus não devem dispor de quaisquer fundos ou criptomoedas, assim como qualquer equipamento de mineração ou outro hardware relevante, em sua posse.

Além disso, o TMF exigiu que o Blockchain Lab remova qualquer material promocional ou publicação em conexão com suas atividades, em particular do Facebook.

Qualquer pessoa que tenha investido no Blockchain Lab ou tenha usado os serviços dos réus deve entrar em contato por uma linha direta com um funcionário da AMF até 1º de abril de 2019.

Em janeiro deste ano, a plataforma de negociação de derivativos de cripto BitMEX refutou reportagens que alegavam que uma repressão regulatória da AMF levara a empresa a encerrar contas de residentesdo Québec, afirmando que o regulador estava satisfeito com a cooperação rápida da plataforma em todas as solicitações.

Québec também saiu nas manchetes da cripto nas últimas semanas devido a uma controvérsia em relação às provisões de eletricidade para os mineradores de cripto. No início deste mês, o governo afirmou que não vê o valor agregado fornecido pela indústria de mineração, e não está interessado em fornecer taxas de energia de baixo custo para mineradores através da concessionária estatal Hydro-Québec. Este último, com seu poder de baixo custo, tornou-se cada vez mais popular  entre os operadores de mineração que enfrentam condições menos vantajosas em todo o mundo.