Computação Quântica pode destruir o Bitcoin? Cientistas teletransportam partícula e fazem ela voltar no tempo

Os estudos e pesquisas sobre Computação Quantica têm avançado e cientistas divulgaram que conseguiram 'teletransportar' uma partícula e também, em outro estudo, fazê-la 'voltar no tempo', segundo publicação da Revista Galileu em 08 de agosto.

A Computação Quantica têm gerado muito debate no ecossitema cripto/blockchain pois não há consenso sobre como este poder computacional poderia impactar a indústria na medida em que ele poderia 'quebrar' criptografias associadas a chaves privadas de criptomoedas. No meio deste debate, projetos como a IOTA, alegam que teriam resistência a computação quântica.

"As máquinas quânticas são muito eficientes na execução de algoritmos de força bruta, como a fatoração de números primos e buscas em listas não ordenadas. As soluções de criptografia são feitas de forma que nenhum computador convencional possa quebrar a chave em tempo hábil, mas com computadores quânticos isto pode vir a ser possível nos próximos anos. Pela própria característica de processamento acelerado do computador quântico, pode colocar em risco não somente o bitcoin, mas todo o sistema de criptografia existente", declarou ao CriptoFácil, Wander Cunha, head da Minsait no Brasil.

Já o desenvolvedor especialista em Bitcoin e Blockchain, Everton Melo, disse que a questão da computação quântica destruir o Bitcoin é falácia, para ele é como você ter uma Ferrari em um congestionamento, ou seja, por mais que ela permita você chegar a 300 Km/h, a via não te permite andar mais do que 20 km/h, desta forma, tanto uma Ferrari quanto um Fusca 69 conseguem fazer o mesmo trabalho.

"A internet que temos hoje com seus equipamentos e infraestrtura que temos hoje, eles não funcionam para particulas atômicas ou seja, a transmissão de dados que temos na internet não é compatível com uma 'internet quântica' e não conseguimos trafegar um 'bit quântico' na rede, um exemplo, na informação quantica quando você envia um dado, ela têm um nível de detalhe tão alto que se alguém visualizar aquela informação ela altera o estado das partículas que estavam compondo aquela informação. Assim Desta forma não dá para 'plugar' um computador quântico na internet. Embora existam falhas teóricas sobre ataque a força bruta, nenhuma delas foi provada até agora, por isso a internet quântica pode ser um divisor de àguas quando ela estiver pronta"

No caso das pesquisas, a Revista relata que pela primeira vez na história, foi possível transportar um qutrit, como resultado da divisão da órbita de um fóton em três partes muito próximas entre si, e que teria produzido um entrelaçamento quântico, provando que o teletransporte de partículas é possível. A descoberta poderá ser usada para tornar a comunicação mais segura.

Jé em outro estudo, pesquisadores do Instituto de Física e Tecnologia de Moscou junto com colegas dos Estados Unidos e da Suíça e fizeram uma partícula voltar no tempo com o auxílio de um computador quântico.

Segundo a Galileu, o grupo também calculou a probabilidade de um elétron no espaço interestelar vazio viajar espontaneamente de volta ao seu passado recente. Os pesquisadores então tentaram reverter o tempo em um experimento de quatro estágios.

Em vez de um elétron, eles observaram o estado de um computador quântico feito de dois ou três elementos básicos chamados qubits supercondutores e constaram que em 85% dos casos o computador quântico de dois qubits retornou ao estado inicial, enquanto o com três qubits teve taxa de sucesso de aproximadamente 50%.

"Este é um de uma série de artigos sobre a possibilidade de violar a segunda lei da termodinâmica. Essa lei está intimamente relacionada com a noção da flecha do tempo, que postula a direção unidirecional do tempo do passado para o futuro", disse o principal autor do estudo, Gordey Lesovik, em comunicado.

Como reportou o Cointelegraph, o número de pedidos de patentes de blockchain supera e muito o de pedidos de patentes para outras tecnologias, de acordo com pesquisa do Instituto para Propriedade Intelectual da Suíça (Swiss Federal Institute of Intellectual Property - IPI) e a empresa jurídica baseada em Londres Withers & Rogers.

De acordo com o relatório, a quantidade de patentes de blockchain no mundo é muito maior do que a de computação quântica, uma vez que número de famílias de patentes blockchain já excedeu o da computação quântica.