Vítimas da QuadrigaCX solicitam provas da morte de Gerald Cotten

O escritório de advocacia canadense Miller Thomson fez um pedido à Royal Canadian Mounted Police (RCMP) para realizar uma exumação e autópsia no corpo de Gerald Cotten, o falecido proprietário da agora extinta exchange canadense QuadrigaCX.

Em 13 de dezembro, os advogados de Miller Thomson explicaram em uma carta enviada à RCMP que a solicitação para exumar e examinar o corpo de Cotten era apropriada, dadas as "circunstâncias questionáveis em torno da morte de Cotten e as perdas significativas" sofridas pelos usuários da exchange de criptomoedas.

As vítimas precisam de clareza sobre a morte de Gerald Cotten

O escritório de advocacia aponta ainda para informações publicamente disponíveis sobre o desastre em torno da exchange de criptomoedas canadense, que, na visão da empresa, destaca ainda "a necessidade de certeza em torno da questão de saber se Cotten está de fato falecido."

No ano passado, a exchange se envolveu em um longo processo judicial com seus credores, alguns dos quais especularam muito sobre o destino da criptomoeda perdida e com alguns aparentemente convencidos de que Cotton poderia ter falsificado sua própria morte.

Segundo informações, Cotton morreu na Índia devido a uma doença fatal em dezembro de 2018, levando consigo as chaves privadas e a senha para as carteiras criptográficas, resultando na perda de cerca de US$ 190 milhões.

Viúva de Gerald Cotten entrega US$ 9 milhões em ativos para clientes lesados

Em outubro, a viúva de Gerald Cotten, Jennifer Robertson, entregou US$ 9 milhões em ativos aos usuários da exchange QuadrigaCX. Robertson anunciou em um comunicado pessoal que iria transferir a grande maioria dos ativos imobiliários para a EY Canada, a empresa de auditoria Big Four que atuou como administradora de falências da QuadrigaCX durante suas audiências de insolvência. Ela disse na época:

"Celebrei agora um acordo de liquidação voluntária em que a grande maioria dos meus ativos e todos os imóveis estão sendo devolvidos à QCX para beneficiar os usuários afetados."